Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de junho de 2018.
Dia dos Namorados.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

INDÚSTRIA

Notícia da edição impressa de 13/06/2018. Alterada em 12/06 às 21h58min

Setor metalmecânico fatura 25% mais até abril

Segmento gerou 2.352 postos de trabalho nos quatro primeiros meses do ano nas fábricas de Caxias do Sul

Segmento gerou 2.352 postos de trabalho nos quatro primeiros meses do ano nas fábricas de Caxias do Sul


/FREDY VIEIRA/JC
Roberto Hunoff, de Caxias do Sul
A atividade metalmecânica de Caxias do Sul acumula, no primeiro quadrimestre, alta de 25% no faturamento na comparação com igual período do ano passado, somando R$ 4,4 bilhões. Com base no desempenho dos primeiros quatro meses, a estimativa para o ano é de R$ 13,3 bilhões, elevação de 7% sobre o consolidado em 2017. No entanto, a greve dos caminhoneiros pode afetar esta recuperação, pois a projeção é de perdas na ordem de R$ 250 milhões no faturamento de maio. Em 12 meses, a alta acumulada é de 20%.
O cenário foi exposto na manhã de ontem por Reomar Slaviero, presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico. Embora o indicador de crescimento seja significativo, o dirigente alertou para o fato de a base de comparação ser a mais baixa dos últimos anos. "Ainda estamos muito distantes de uma situação equilibrada, como a que tivemos em 2008. Deixamos de pisar no fundo do poço, mas a distância até a saída é longa", externou.
O assessor de planejamento econômico da entidade, Rogério Gava, destacou que, atualizado, o faturamento de 2008 representa R$ 22 bilhões. Tomando por base a projeção de R$ 13,3 bilhões para 2018, a variação segue negativa em 40%. "Ainda vivemos o trauma da crise iniciada em 2014, e, agora, somam-se as incertezas com as eleições de outubro", comentou Slaviero.
Também surge como preocupação a nova tabela de fretes, acertada pelo governo com os caminhoneiros como forma de colocar fim à greve. De acordo com Slaviero, na ânsia de resolver um problema, o governo não avaliou a repercussão negativa nos demais setores. "Da forma como está posta, a tabela é prejudicial para o nosso setor", reforçou. Mesmo diante desta realidade, Slaviero se disse otimista com as perspectivas para o ano, mas nada, segundo ele, que justifique fazer festa.
O saldo de empregos na indústria metalmecânica de Caxias segue melhorando. O setor gerou, nos quatro primeiros meses, 2.352 postos de trabalho. No final de abril, o estoque era de 35.423 vagas formais, número bem abaixo de 2013, por exemplo, que somava perto de 54 mil empregos. Somado o resultado do primeiro quadrimestre de 2018 com o saldo positivo do ano passado, ainda precisam ser recuperados perto de 16 mil postos de trabalho.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia