Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 07/06/2018. Alterada em 07/06 às 02h00min

Depósitos na poupança em maio superaram saques em R$ 2,4 bilhões

Os depósitos na caderneta de poupança superaram os saques em R$ 2,405 bilhões em maio, de acordo com relatório divulgado ontem pelo Banco Central (BC). Esse foi o maior resultado para o mês desde 2013, quando a captação líquida (ou seja, a diferença entre os depósitos e os saques na caderneta) ficou em R$ 5,625 bilhões. Em maio de 2017, também houve captação líquida, mas o resultado foi menor: R$ 292,6 milhões.
Os depósitos na caderneta de poupança superaram os saques em R$ 2,405 bilhões em maio, de acordo com relatório divulgado ontem pelo Banco Central (BC). Esse foi o maior resultado para o mês desde 2013, quando a captação líquida (ou seja, a diferença entre os depósitos e os saques na caderneta) ficou em R$ 5,625 bilhões. Em maio de 2017, também houve captação líquida, mas o resultado foi menor: R$ 292,6 milhões.
No mês passado, foram aplicados R$ 181,731 bilhões nas cadernetas, contra a retirada de R$ 179,326 bilhões. Os rendimentos creditados nas contas de poupança somaram R$ 2,801 bilhões.
Com captação líquida pelo terceiro mês consecutivo em maio, o resultado acumulado do ano voltou a ficar positivo. De janeiro a maio, a captação líquida total chegou a R$ 1,710 bilhão.
Em janeiro e fevereiro, houve retirada líquida (mais saques que depósitos) de R$ 5,201 bilhões e de R$ 708,1 milhões, respectivamente. Nos meses seguintes, o resultado ficou positivo: R$ 3,977 bilhões, em março, e R$ 1,237 bilhão, em abril. Em maio, o saldo de todas as cadernetas de poupança ficou em R$ 740,639 bilhões.
Pela legislação em vigor, o rendimento da poupança é calculado pela soma da Taxa Referencial (TR), definida pelo BC, mais 0,5% ao mês, sempre quando a taxa básica de juros, a Selic, está acima de 8,5% ao ano. Quando a Selic é igual ou inferior a 8,5% ao ano, como ocorre atualmente, a remuneração da poupança passa a ser a soma da TR com 70% da Selic. Atualmente, a Selic está em 6,5% ao ano.