Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Cultura

- Publicada em 29 de Abril de 2022 às 15:28

V744 Atelier traz a obra de Marcelo Silveira a Porto Alegre

 Obra que integra a exposição

Obra que integra a exposição "C+asa", atual projeto do artista


Robson Lemos/Divulgação/JC
Em maio, o V744 Atelier (Rua Visconde do Rio Branco, 744) irá promover a exposição C+asa, do artista plástico pernambucano Marcelo Silveira. A mostra será inaugurada às 17h do próximo dia 14 de maio, sábado, às 17h, dando continuidade à aspiração da idealizadora do espaço, a artista visual Vilma Sonaglio, de ser um lugar para criar, expor, divulgar e fruir arte contemporânea.
Em maio, o V744 Atelier (Rua Visconde do Rio Branco, 744) irá promover a exposição C+asa, do artista plástico pernambucano Marcelo Silveira. A mostra será inaugurada às 17h do próximo dia 14 de maio, sábado, às 17h, dando continuidade à aspiração da idealizadora do espaço, a artista visual Vilma Sonaglio, de ser um lugar para criar, expor, divulgar e fruir arte contemporânea.
Desde os anos 1980, Marcelo Silveira destaca-se pelo constante interesse em explorar as características físicas dos materiais com os quais trabalha, investigando e revelando as possibilidades de manipulação e significação de cada um deles. Desta forma, faz uso de materiais variados - madeira, couro, papel, alumínio, ferro, vidro - frequentemente combinados entre si. Este traço se mantém na nova exposição.
O atual projeto de Silveira na Capital gaúcha envolve uma residência artística no V744 Atelier. "Minhas investigações irão se concentrar em estabelecer aproximações entre a ficção e a realidade; a memória do espaço, das convidadas e a minha", detalha. "O resultado desta ação será um diálogo continuado, aberto e rico em dúvidas", antecipa. Para ele, interessa, principalmente, pensar a ocupação dos espaços institucionais e não institucionais, o espaço privado e o público. Sem esquecer as relações entre obra e expectadores.
Durante o projeto, Silveira pretende estabelecer uma conversa entre cinco pontos de interesse. O primeiro é a casa de Vilma Sonaglio, da qual utiliza materiais originários da habitação, que foi construída em 1962, ano do nascimento do artista; o segundo, a casa de Leno - dos desenhos de Heleno (1987), criança que acompanhou, por dois anos, em atividades relacionadas com arte-educação e convivência realizadas no seu atelier, em Gravatá (PE), cidade a 80 quilômetros de Recife; o terceiro são as Roupas de Casa (2002/2003), realizado em Cachoeirinha (PE), com couro de cabra e aço, tendo como referência a ocupação dos sem-terra ao longo das estradas federais e as capas que são usadas para "proteção" dos eletrodomésticos; o quarto ponto é a Casa Inventada, a partir de seu contato com a obra da escritora gaúcha, Lya Luft, e o quinto ponto é O Desenho da Casa, série de trabalhos desenvolvida a partir de materiais oriundos da extinta Casa do Desenho, de Porto Alegre.
De acordo com o artista, alguns dos trabalhos serão produzidos durante o período da residência. Ata e Lições Modernas serão dois trabalhos que farão parte do projeto, ambos foram produzidos com letra tone e letra sete, respectivamente.
Após o evento de abertura da mostra, a visitação segue até 22 de julho de 2022, de quartas as sextas-feiras, das 14h às 17h. Outros horários serão contemplados com agendamento pelo direct do Instagram V744 Atelier.
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO