Porto Alegre, segunda-feira, 06 de setembro de 2021.
Feriado nos EUA - Dia do Trabalho.
Porto Alegre,
segunda-feira, 06 de setembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Audiovisual

- Publicada em 17h09min, 06/09/2021.

Histórias de violência em universidades são tema da série 'Rompendo o silêncio'

Produção que estreia na HBO e HBO Max discute violência que emerge nos ambientes universitários brasileiros

Produção que estreia na HBO e HBO Max discute violência que emerge nos ambientes universitários brasileiros


HBO BRASIL/REPRODUÇÃO/JC
Série documental sobre a cultura da violência nas universidades brasileiras, Rompendo o silêncio estreia nesta terça-feira (7) nos canais HBO e HBO Max. São cinco episódios semanais de 60 minutos cada, tratando de situações como trotes, violência sexual, assédio sexual, violência moral e psicológica e discriminação.
Série documental sobre a cultura da violência nas universidades brasileiras, Rompendo o silêncio estreia nesta terça-feira (7) nos canais HBO e HBO Max. São cinco episódios semanais de 60 minutos cada, tratando de situações como trotes, violência sexual, assédio sexual, violência moral e psicológica e discriminação.
Dirigida por Giuliano Cedroni e Marina Person, a série se baseia em pesquisas com dados alarmantes sobre a violência nas instituições, e usa histórias individuais como ponto de partida para a análise de especialistas. Um dos episódios trata da escritora, colunista e apresentadora Stephanie Ribeiro, que estudou Arquitetura e Urbanismo na PUC - Campinas. Única mulher, negra e bolsista entre 200 alunos, ela passou por perseguições e ofensas racistas dentro da universidade.
A série conta com a participação de especialistas, como a cientista política Djamila Ribeiro; o psicólogo e professor da UFSCar Antônio Zuin; a promotora de Justiça Silvia Chakian; o ex-ministro da Educação Renato Janine Ribeiro; a professora e co-fundadora da Rede Não Cala USP Ana Flávia d’Oliveira; e do ex-ministro da educação José Goldemberg.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário