Porto Alegre, segunda-feira, 19 de julho de 2021.
Nelson Mandela Day.
Porto Alegre,
segunda-feira, 19 de julho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

ARTES VISUAIS

- Publicada em 15h57min, 19/07/2021.

Margs promove live com o pesquisador Felipe Caldas sobre a 'Geração 80'

O convidado fala sobre o tema a partir do contexto da cidade de Porto Alegre

O convidado fala sobre o tema a partir do contexto da cidade de Porto Alegre


RODRIGO MARRONI/DIVULGAÇÃO/JC
O Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs) apresenta nesta terça-feira (20), às 19h, uma live com o artista, professor e pesquisador Felipe Caldas com a temática Geração 80: a gente não quer só dinheiro. Com mediação do diretor-curador do Margs, Francisco Dalcol, a fala integra o Programa Público da exposição Lia Menna Barreto: a boneca sou eu — trabalhos 1985-2021.
O Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs) apresenta nesta terça-feira (20), às 19h, uma live com o artista, professor e pesquisador Felipe Caldas com a temática Geração 80: a gente não quer só dinheiro. Com mediação do diretor-curador do Margs, Francisco Dalcol, a fala integra o Programa Público da exposição Lia Menna Barreto: a boneca sou eu — trabalhos 1985-2021.
A década de 1980 foi marcada por um conjunto de mudanças em diversos planos da vida, sejam eles econômicos, sociais ou culturais. Passamos a falar do retorno da pintura, da pós-modernidade, do neoliberalismo, dos mercados da arte, e do fim da história da arte.
Nesse contexto, emerge uma geração de artistas no Brasil, denominada como Geração 80 fomentada pelo desejo de redemocratização e pela necessidade de gozo da vida, embalados pelo rock nacional e internacional. Em sua fala, Felipe Caldas irá discorrer sobre este tema a partir do contexto de Porto Alegre e suas questões, focando na estruturação do campo naquele momento.
Lia Menna Barreto é uma das mais notáveis artistas da chamada Geração 80 no Rio Grande do Sul, e desde os anos 1990 tem seu nome destacado e com ampla inserção no circuito de arte contemporânea brasileira e mesmo internacional.
A exposição que leva seu nome, Lia Menna Barreto: a boneca sou eu — trabalhos 1985-2021, apresenta dezenas de obras que totalizam centenas de peças em exibição, traçando um panorama da trajetória de mais de 30 anos de uma produção pautada pela liberdade de trânsito e contaminações entre múltiplas linguagens e materiais, na intersecção entre arte, vida e cotidiano.
Com curadoria de Francisco Dalcol e Fernanda Medeiros, é a maior mostra já realizada da artista e a primeira a reunir um conjunto de obras tão extenso e abrangente de sua carreira. A ampla exposição, em exibição até 8 de agosto, ocupa todos os espaços expositivos do 1º andar do Margs: as 3 galerias das Pinacotecas, as Salas Negras e a Sala Aldo Locatelli, além do foyer à entrada do museu.
O evento com Felipe Caldas terá transmissão através do canal de YouTube do Margs, com tradução simultânea em Libras.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário