Porto Alegre, terça-feira, 06 de julho de 2021.
Porto Alegre,
terça-feira, 06 de julho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

MÚSICA

- Publicada em 15h15min, 06/07/2021.

Ingressos gratuitos para 'Operita Violoncello' começam a ser distribuídos

A montagem traz um renomado elenco conduzido pela atriz e diretora teatral Jacqueline Pinzon

A montagem traz um renomado elenco conduzido pela atriz e diretora teatral Jacqueline Pinzon


CLAUDIO ETGES /DIVULGAÇÃO/JC
Os preparativos para a estreia da Operita Violoncello, no Theatro São Pedro, seguem intensos. A partir desta terça-feira (6), ingressos gratuitos para a apresentação passam a ser distribuídos. As entradas podem ser retiradas na bilheteria do teatro, de terça a sexta-feira, das 13h30min às 18h, mediante a doação de 2 quilos de alimentos não perecíveis (não há limite por pessoa).
Os preparativos para a estreia da Operita Violoncello, no Theatro São Pedro, seguem intensos. A partir desta terça-feira (6), ingressos gratuitos para a apresentação passam a ser distribuídos. As entradas podem ser retiradas na bilheteria do teatro, de terça a sexta-feira, das 13h30min às 18h, mediante a doação de 2 quilos de alimentos não perecíveis (não há limite por pessoa).
As apresentações acontecem nos dias 13, 14 e 15 de julho. A ópera de câmara, regida pelo maestro Arthur Barbosa e com libreto de Álvaro Santi, tem como tema central o violoncelo. A montagem traz um elenco renomado, protagonizado pela mezzo-soprano Angela Diel, pelo baixo Daniel Germano e pelo bailarino e coreógrafo Raul Voges.
Além disso, um conjunto de dez violoncelistas, um percussionista e duas bailarinas/atrizes, Pâmela Manica e Janaína Nocchi, também participam da peça. Conduzindo o elenco, está a atriz e diretora teatral Jacqueline Pinzon.
Um dos diferenciais da obra é o fato de o compositor concebê-la para ser executada somente por um conjunto de cellos, no lugar de uma orquestra tradicional. Segundo o maestro, o som da orquestra de violoncelos é muito peculiar, ainda que sejam escassas as obras para esta formação.
No libreto de Álvaro Santi acompanhamos o drama de Maria, que ama tocar e dedica-se totalmente ao violoncelo. O instrumento, por sua vez, assume a forma humana, e assim, a paixão entre ambos se corporifica e passa do campo das ideias para a paixão sensual.
Juan, um jovem sedutor, surge na vida de Maria e, neste dilema, o violoncelo passa a se sentir traído. Inicia-se assim um improvável triângulo amoroso com grandes e transformadoras consequências para Maria e seus amores.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário