Porto Alegre, quinta-feira, 17 de junho de 2021.
Porto Alegre,
quinta-feira, 17 de junho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

exposição

- Publicada em 12h54min, 17/06/2021.

Artista gaúcha Michele Rocha participa de mostra coletiva em São Paulo

Obras poderão ser conferidas virtualmente até 20 de junho

Obras poderão ser conferidas virtualmente até 20 de junho


MARIANA ALVES/JC
Da publicidade para as artes visuais: gaúcha reinventa a carreira na pandemia e participa de exposição em São Paulo. Michele Rocha foi selecionada para expor seus trabalhos na Arte Lab Gallery, ao lado de artistas de todo Brasil. As obras também podem ser conferidas virtualmente (@artlabgallerysp) até 20 de junho. 
Da publicidade para as artes visuais: gaúcha reinventa a carreira na pandemia e participa de exposição em São Paulo. Michele Rocha foi selecionada para expor seus trabalhos na Arte Lab Gallery, ao lado de artistas de todo Brasil. As obras também podem ser conferidas virtualmente (@artlabgallerysp) até 20 de junho. 
Sócia de uma agência de comunicação em Porto Alegre, ela encontrou na arte uma alternativa não só para lidar melhor com o transtorno de ansiedade, como também para o empreendedorismo. Em meio ao isolamento social, Michele resolveu começar a expor seus desenhos e criações nas redes sociais (Instagram @mirock01).
Ela não imaginava que o hobby de infância poderia se tornar também uma fonte de renda. Hoje, seus trabalhos estampam quadros, roupas, canecas, bolsas e paredes.
“A ideia de migração para a arte não foi planejada. Sempre consumi arte e cultura através das artes visuais, cinema, música e literatura. Além disso, sou apaixonada por desenho. Mas sabe a famosa síndrome de impostora? Meu público era, basicamente, formado pelos meus afilhados com os quais sempre tive uma relação muito próxima”, conta.
Diagnosticada com transtorno de ansiedade em 2014, rabiscar foi a forma que ela encontrou para se sentir mais calma. “Comecei a desenhar para não surtar. Um dia, resolvi mostrar um desenho para amigas. Uma delas sugeriu que eu começasse a postar minhas artes nas redes sociais. Mesmo não me achando boa, segui o conselho e postei. Para minha surpresa, muitos comentários de incentivo e elogios começaram a surgir. Costumo dizer que minhas amigas foram um empurrão, não em mim, mas na minha insegurança. Desde então, já fiz trabalhos ilustrado para marcas, vendi produtos com meus desenhos e, além da exposição, fui convidada a ilustrar um livro infantil”.
Michele criou recentemente uma série de desenhos nos quais utiliza elementos do dia a dia para construir narrativas visuais. “Desconfio que meu trabalho traz um pouco de conforto nesse momento tão difícil pelo qual estamos passando. Seja pelo uso de cores intensas – vivemos dias tão cinzas – seja pela identificação, uma vez que dialogam com a temática feminina e feminista, ou até mesmo pelo humor”, avalia.
Segundo ela, o convite para expor em São Paulo trouxe mais confiança para seguir pelo caminho artístico. “Foi uma injeção de ânimo, além de me dar visibilidade. Considerando que sou uma artista iniciante, é um belo passo”.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário