Porto Alegre, terça-feira, 23 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 23 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

artes visuais

- Publicada em 17h32min, 23/02/2021.

Eduardo Kobra presenteia Butantan e Fiocruz com painéis sobre vacina para Covid

Artista produziu duas obras no início de 2020 para retratar esperança que imunizante traz em meio à pandemia

Artista produziu duas obras no início de 2020 para retratar esperança que imunizante traz em meio à pandemia


Acervo de Eduardo Kobra/Divulgação/JC
O Instituto Butantan completa 120 anos de história nesta terça-feira (23) e será presenteado com uma homenagem do muralista Eduardo Kobra. O artista doou um painel sobre a vacina contra Covid-19 à entidade de São Paulo e à Fiocruz, no Rio de Janeiro.
O Instituto Butantan completa 120 anos de história nesta terça-feira (23) e será presenteado com uma homenagem do muralista Eduardo Kobra. O artista doou um painel sobre a vacina contra Covid-19 à entidade de São Paulo e à Fiocruz, no Rio de Janeiro.
Em vídeo compartilhado no Instagram, Kobra explica que produziu as duas obras no início de 2020 e que ambas retratam a esperança que a vacina proporciona em meio à pandemia do coronavírus.
"Vacinar-se, assim que possível, é uma medida de saúde pública e de cidadania. As duas instituições responsáveis pela produção nacional delas [vacinas] completam 120 anos de história justamente em meio a esse momento difícil de pandemia: a Fiocruz celebrou a data o aniversário em maio do ano passado e o Instituto Butantan comemora nesta terça", explicou ele na legenda da publicação.
"Vou presentear ambas com esses trabalhos que fiz meses atrás. A mensagem é uma só: na vacina está nossa esperança. Deixo então a homenagem e a gratidão ao trabalho dos cientistas e de todos os funcionários do Instituto Butantan e da Fiocruz", escreveu ele.
No início deste mês, o artista transformou um cilindro de oxigênio em desuso, de 1m30, em uma nova obra. Batizada de Respirar, a obra foi vendida para o movimento UniãoBR por R$ 700 mil, destinados à instalação de duas usinas de oxigênio no estado do Amazonas.
"O equivalente a 1,4 mil cilindros por mês - sopros de vida e esperança a pacientes de covid-19. A obra, que além de expor a dor da pandemia também é um alerta para a questão ambiental da nossa Amazônia, simbolicamente chamada de pulmão do mundo, deve ser instalada em um espaço público de São Paulo", revelou Kobra em suas redes sociais.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO