Porto Alegre, quinta-feira, 21 de janeiro de 2021.
Feriado nos EUA: Dia de Martin Luther King.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 21 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Cinema

- Publicada em 09h03min, 21/01/2021. Atualizada em 12h10min, 21/01/2021.

Um 'Pinóquio' mais sério e sombrio chega às salas brasileiras

Roberto Benigni (E) assume o papel de Gepeto em longa que se pretende ser fiel ao livro original

Roberto Benigni (E) assume o papel de Gepeto em longa que se pretende ser fiel ao livro original


IMAGEM FILMES/DIVULGAÇÃO/JC
A clássica história do boneco de madeira que vira um garoto de verdade ganha uma atmosfera mais sombria em Pinóquio (Itália, 2021, 125min), adaptação em formato live-action que chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (21). Dirigido por Matteo Garrone (Gomorra, Dogman), o longa traz o vencedor do Oscar Roberto Benigni como Gepeto, um marceneiro solitário que acaba criando um boneco de madeira que ganha vida.
A clássica história do boneco de madeira que vira um garoto de verdade ganha uma atmosfera mais sombria em Pinóquio (Itália, 2021, 125min), adaptação em formato live-action que chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (21). Dirigido por Matteo Garrone (Gomorra, Dogman), o longa traz o vencedor do Oscar Roberto Benigni como Gepeto, um marceneiro solitário que acaba criando um boneco de madeira que ganha vida.
A proposta de Garrone é aproximar sua adaptação do espírito de As aventuras de Pinóquio, escrito por Carlo Collodi e publicado em 1883. Ao invés do tom positivo e alegre da clássica animação de 1940, que tornou-se icônica para o personagem, a proposta é de uma abordagem mais séria e fiel aos questionamentos do livro original.
Desejoso de ser pai, Gepeto manifesta em voz alta o desejo de que Pinóquio (Federico Ielapi), o brinquedo que tinha acabado de construir, ganhasse vida. Seu pedido é atendido, mas a desobediência do boneco faz com que ele se perca de casa, embarcando em uma jornada repleta de mistérios e seres fantásticos e tendo contato direto com os perigos do mundo.
Além de realizar o antigo sonho de adaptar Pinóquio para o cinema, Garrone teve uma segunda realização pessoal: dirigir Roberto Benigni, que ganhou fama definitiva por sua atuação em A vida é bela, que rendeu-lhe o Oscar de Melhor Ator. Pinóquio marca a volta de Benigni à telona, depois de um hiato de oito anos.
Comentários CORRIGIR TEXTO