Porto Alegre, quarta-feira, 09 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 09 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

televisão

- Publicada em 15h52min, 09/12/2020.

Com Fernanda Montenegro e Fernanda Torres, longa Casa de areia chega ao Curta!

Saga de mãe e filha em terras desérticas é contada em drama

Saga de mãe e filha em terras desérticas é contada em drama


COLUMBIA/DIVULGAÇÃO/JC
Dirigido por Andrucha Waddington, o premiado drama Casa de areia (2005) conta a saga de mãe e filha que se veem em uma casa no meio de um grande areal. As atrizes Fernanda Montenegro e Fernanda Torres se revezam na pele de ambas as personagens, a depender da época em que se passam as cenas.
Dirigido por Andrucha Waddington, o premiado drama Casa de areia (2005) conta a saga de mãe e filha que se veem em uma casa no meio de um grande areal. As atrizes Fernanda Montenegro e Fernanda Torres se revezam na pele de ambas as personagens, a depender da época em que se passam as cenas.
No elenco, entre outros, estão ainda Ruy Guerra, Seu Jorge e Luis Melodia. O filme, que foi aclamado em festivais como os de Sundance, Guadalajara e Lima, ganha exibição nesta quarta-feira (9), às 22h, no Canal Curta!, na faixa Quarta do Cinema, atração semanal da emissora.
A história do filme começa em 1910, quando o português Vasco leva sua esposa, Áurea, grávida, e a mãe dela, Dona Maria, para viver um sonho de fartura em terras que ele acabara de adquirir. Após uma longa viagem, os três chegam às tais terras, mas descobrem que são inóspitas e desérticas, rodeadas apenas por areia. Ainda assim, Vasco insiste em ficar e constrói uma casa no local.
No entanto, um acidente tira a vida de Vasco, e Áurea e Dona Maria ficam sozinhas e desprovidas. Encontram a ajuda de Massu, que garante a sobrevivência das duas na casa recém-construída. O longa mostra momentos de tensão, como o do nascimento do bebê de Áurea, a apreensão de se viver em um local que pode ser soterrado a qualquer momento, além da longa espera por uma nova possibilidade de vida em outro lugar.
Comentários CORRIGIR TEXTO