Porto Alegre, sábado, 21 de novembro de 2020.
Dia Mundial da Televisão. Dia da Homeopatia e Dia do Homeopata.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 21 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

ACONTECE

- Publicada em 10h53min, 21/11/2020. Atualizada em 11h01min, 21/11/2020.

Tico Santa Cruz anuncia retirada de livros de sua autoria do Carrefour

Vocalista da banda Detonautas tem quatro títulos lançados

Vocalista da banda Detonautas tem quatro títulos lançados


FABIANO SANTOS/DIVULGAÇÃO/JC
Tico Santa Cruz, de 43 anos, usou as redes sociais para pedir que a editora Belas Letras deixasse de vender os livros de sua autoria em lojas do Carrefour. "Oi, Belas Letras, exijo que imediatamente todos os meus livros sejam retirados de venda do Carrefour. Aguardo um posicionamento público da editora o quanto antes ou vou rescindir contrato... Racismo não é piada", postou, em tom indignado, nesta sexta-feira (20), Dia da Consciência Negra.
Tico Santa Cruz, de 43 anos, usou as redes sociais para pedir que a editora Belas Letras deixasse de vender os livros de sua autoria em lojas do Carrefour. "Oi, Belas Letras, exijo que imediatamente todos os meus livros sejam retirados de venda do Carrefour. Aguardo um posicionamento público da editora o quanto antes ou vou rescindir contrato... Racismo não é piada", postou, em tom indignado, nesta sexta-feira (20), Dia da Consciência Negra.
A manifestação veio à tona após imagens mostrarem João Alberto Silveira Freitas, um homem negro de 40 anos, ser espancado até a morte por dois seguranças de uma unidade do supermercado Carrefour em Porto Alegre na noite de quinta-feira (19). Algumas horas depois da postagem, o vocalista da banda Detonautas Roque Clube voltou às redes sociais para dizer que a editora acatou seu pedido e que também deixará de comercializar outros títulos na rede de supermercados.
"A editora que publica meus livros se manifestou e vai deixar de vender não só os títulos que pertencem a minha autoria, mas o de TODOS os autores e autoras que fazem parte da Belas Letras", compartilhou o músico, repostando comunicado da editora referente ao caso. "Enviamos agora à tarde uma circular a todos os nossos distribuidores e parceiros comerciais solicitando que recolham imediatamente todos os livros da Belas Letras que ainda se encontram à venda nas prateleiras físicas e no marketplace do Carrefour", diz trecho da nota.
O artista se manifestou também contra a fala do vice-presidente, Hamilton Mourão que afirmou que "não existe racismo no Brasil" ao comentar a morte de Freitas. "'Gente de cor' - 2020, General Mourão, vice-presidente do Brasil. E não existe racismo estrutural", ironizou Tico.
A morte de Freitas teve forte repercussão entre diversas celebridades que usaram a web para se manifestar sobre o ocorrido, entre elas Ludmilla, Camila Pitanga, Paulo Vieira, Leandra Leal e Thiaguinho. Protestos marcaram o final do dia de sexta-feira (20) em algumas capitais do País. Em Porto Alegre, durante a tarde, uma grande manifestação fechou a avenida Plínio Brasil Milano em frente ao local do assassinato.
Tico é autor de quatro livros: Clube da Insônia (2012), Tesão (2013), Pólvora (2014) e o infantil O Elefante e a Borboleta (2017). Já a sua banda de rock, neste ano, durante a pandemia, lançou singles bem sugestivos, com posições políticas, pela Sony Music nas plataformas: Kit Gay, Mala cheia, Micheque e Carta ao futuro.
Folhapress
Comentários CORRIGIR TEXTO