Porto Alegre, quarta-feira, 22 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 22 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

artes visuais

Atualizada em 20h31min, 22/07/2020.

Mais uma transmissão on-line da Bienal do Mercosul ocorre nesta quinta-feira

Hélio Menezes, Fabiana Lopes e Igor Simões debatem curadoria negra e arte brasileira em live

Hélio Menezes, Fabiana Lopes e Igor Simões debatem curadoria negra e arte brasileira em live


BIENAL 12/DIVULGAÇÃO/JC
O curador de arte paulista e a curadora adjunta da Bienal 12 conversam nesta quinta-feira (23), às 19h, em transmissão do Programa de Lives do evento de artes visuais do Mercosul. As particularidades da prática de curadores negros e a intersecção da negritude na arte brasileira serão temas abordados no bate-papo virtual desta semana.
O curador de arte paulista e a curadora adjunta da Bienal 12 conversam nesta quinta-feira (23), às 19h, em transmissão do Programa de Lives do evento de artes visuais do Mercosul. As particularidades da prática de curadores negros e a intersecção da negritude na arte brasileira serão temas abordados no bate-papo virtual desta semana.
Participam do debate Hélio Menezes, curador atuante em São Paulo, e Fabiana Lopes, da equipe curatorial desta edição da Bienal. A conversa será conduzida por Igor Simões, curador do programa educativo. 
A live pode ser acompanhada pelo Facebook, Instagram e YouTube da Bienal do Mercosul. Haverá espaço para perguntas do público, que podem ser enviadas com antecedência pelos canais digitais da Bienal ou durante a transmissão.
Fabiana Lopes é curadora independente radicada em Nova York e São Paulo e doutoranda em Estudos de Performance pela New York University, onde é uma Corrigan Doctoral Fellow. Sua pesquisa está centrada na produção contemporânea de artistas da diáspora africana no Brasil e nas Américas. Seus textos foram publicados na Harper’s Bazaar Art, O Menelick 2o Ato, ARTE!Brasileiros, Contemporary And (C&) e em catálogos de exposições, entre os quais Rosana Paulino: Costura da Memória, Pinacoteca, São Paulo (2018), Lucia Laguna: Vizinhança, Masp, São Paulo (2018), Of Darkness and of Light, Minnette Vári, Johanesburgo (2016), e Territórios: Artistas Afrodescendentes no Acervo da Pinacoteca, Pinacoteca, São Paulo (2015).
Antropólogo, Hélio Menezes atua como curador, crítico e pesquisador. Graduado em Relações Internacionais e em Ciências Sociais, é mestre e doutorando em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo, e Affiliated Scholar do BrazilLab, da Universidade de Princeton. Atua como curador de Arte Contemporânea do Centro Cultural São Paulo. Entre os trabalhos recentes, destacam-se a curadoria das exposições The discovery of what it means to be Brazilian (Mariane Ibrahim Gallery, Chicago, 2020) e Histórias Afro-Atlânticas (MASP/Instituto Tomie Ohtake, 2018).
Doutor em Artes Visuais - História, Teoria e crítica da Arte pela Ufrgs, Igor Simões é professor adjunto de História, Teoria e Crítica da Arte e Metodologia e Prática do ensino da arte (Uergs). Membro do comitê de curadoria da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas-ANPAP, Membro do Núcleo Educativo UERGS-MARGS. Membro do comitê de acervo do Museu de Arte do RS-Margs. Trabalha com as articulações entre exposição, montagem fílmica, histórias da arte e racialização na arte brasileira e visibilidade de sujeitos negros nas artes visuais. Autor da tese Montagem fílmica e exposição: vozes negras no cubo branco da arte brasileira. Membro do Flume-Grupo de Pesquisa em Educação e Artes Visuais.
Comentários CORRIGIR TEXTO