Porto Alegre, sexta-feira, 12 de junho de 2020.
Dia dos Namorados.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 12 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Cinema

Alterada em 12/06 às 14h35min

Oscar terá dez indicados a melhor filme a partir de 2022

Atualmente, a Academia permite de cinco a dez indicados a melhor filme todos os anos

Atualmente, a Academia permite de cinco a dez indicados a melhor filme todos os anos


REUTERS/DIVULGAÇÃO/JC
Folhapress
A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que organiza anualmente o Oscar, anunciou nesta sexta (12) algumas mudanças nas regras da premiação. A mais notável é a obrigatoriedade de haver dez indicados à categoria principal, de melhor filme, a partir de 2022. A informação é do Deadline.
A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que organiza anualmente o Oscar, anunciou nesta sexta (12) algumas mudanças nas regras da premiação. A mais notável é a obrigatoriedade de haver dez indicados à categoria principal, de melhor filme, a partir de 2022. A informação é do Deadline.
Atualmente, a Academia permite de cinco a dez indicados a melhor filme todos os anos, dependendo da quantidade de votos que cada título recebe - o Oscar 2020, por exemplo, teve nove indicados na categoria; o Oscar 2019 teve oito.
As outras mudanças anunciadas nesta sexta pela organização buscam abordar o problema da diversidade entre os membros da Academia e os indicados ao Oscar.
O racismo é um tema delicado para a premiação há anos e se mostrou ainda mais urgente com a onda de protestos pelos EUA.
Neste sentido, a Academia se juntou com o Sindicado dos Produtores de Hollywood (PGA, na sigla em inglês) para criar uma força-tarefa de líderes na indústria cinematográfica, que vão estabelecer padrões de representatividade e inclusão que serão exigidos a produções para que elas possam concorrer ao Oscar.
Estas novas determinações serão reveladas em 31 de julho, e entrarão em efeito também a partir do Oscar 2022. A Academia anunciou, por fim, que vai promover painéis e discussões sobre raça, e oferecer cursos contra o racismo para todos os membros da organização.
Comentários