Porto Alegre, segunda-feira, 09 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Carnaval de rua

08/03/2020 - 19h00min. Alterada em 09/03 às 14h13min

Porto Alegre se despede do Carnaval de rua com a animação do bloco Maria do Bairro

Bloco Maria do Bairro, em frente  ao Boteco do Paulista

Bloco Maria do Bairro, em frente ao Boteco do Paulista


MARCO QUINTANA/JC
Roberta Mello
O encerramento do circuito oficial do Carnaval de rua de Porto Alegre neste domingo (8) foi marcado por shows na Orla do Guaíba e no Centro Histórico, com o já veterano Bloco Maria do Bairro. Realizado pela primeira vez na região central, desta vez a apresentação do coletivo foi em carro parado na Rua Riachuelo em frente ao Boteco do Paulista, parceiro da saída.
O encerramento do circuito oficial do Carnaval de rua de Porto Alegre neste domingo (8) foi marcado por shows na Orla do Guaíba e no Centro Histórico, com o já veterano Bloco Maria do Bairro. Realizado pela primeira vez na região central, desta vez a apresentação do coletivo foi em carro parado na Rua Riachuelo em frente ao Boteco do Paulista, parceiro da saída.
Ao todo, o show durou cerca de cinco horas e foi do funk e pop até os clássicos do samba. A expectativa da organização era reunir em torno de 7 mil pessoas durante o dia – número bem abaixo da multidão de aproximadamente 20 mil pessoas que se aglomerava na rua Sofia Veloso, no bairro Cidade Baixa, em anos anteriores. O local é a casa do Maria do Bairro e onde o grupo se apresentava desde que foi criado, em 2007.
De acordo com o produtor Zé Luis Valim “a mudança impôs a necessidade de conquistar uma nova vizinhança, de tentar atrair o público ao novo lugar e o desafio de não deixar descaracterizar o bloco”. O objetivo parecia estar sendo conquistado quando levada em conta a pluralidade e animação dos foliões que ocupavam quase uma quadra da rua que abriga o Boteco do Paulista – um local simbólico e querido pelo público boêmio da Capital.
A mudança ocorreu devido às novas exigências da prefeitura de Porto Alegre. O bloco foi um dos 27 selecionados em edital para o Carnaval deste ano e contou com uma ajuda de custo para a saída de 2020.
Presente no evento, o secretário da Cultura, Luciano Alabarse, avaliou que o Carnaval de rua mostrou toda a sua potência este ano reunindo mais de 400 mil pessoas em oito dias de folia. “Esta é uma prova de que os porto-alegrenses gostam desta festa. Espero que no ano que vem seja ainda maior”, projetou Alabarse.
Sobre os incidentes de violência registrados em alguns dias da programação, principalmente no bairro Cidade Baixa, Alabarse disse que eles não ocorreram devido à festa e não podem ser atribuídos ao público, que em sua maioria estava reunido a fim de se divertir. “Não se pode demonizar o Carnaval de rua por causa de cenas que, infelizmente, também acontecem em outras épocas do ano. A população tem o legítimo direito de pular o Carnaval”, salientou.