Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Cinema

Notícia da edição impressa de 14/02/2020. Alterada em 14/02 às 03h00min

Animação francesa tem protagonismo de uma menina negra na Belle Époque

'Dilili em Paris' apresenta figuras históricas e muitas aventuras na capital da França

'Dilili em Paris' apresenta figuras históricas e muitas aventuras na capital da França


/IMOVISION/DIVULGAÇÃO/JC
Após o sucesso com a trilogia Kirikou, o animador francês Michel Ocelot apresenta a produção Dilili em Paris, com o protagonismo de uma garotinha negra franco-kanak, que dá o nome ao título. Ao longo do filme, importantes figuras femininas são apresentadas, como Camille Claudel, Emma Calvé, Marie Curie, Sarah Bernhardt, além de outras.
Após o sucesso com a trilogia Kirikou, o animador francês Michel Ocelot apresenta a produção Dilili em Paris, com o protagonismo de uma garotinha negra franco-kanak, que dá o nome ao título. Ao longo do filme, importantes figuras femininas são apresentadas, como Camille Claudel, Emma Calvé, Marie Curie, Sarah Bernhardt, além de outras.
Vivendo na Paris da Belle Époque, ela começa a investigar o misterioso desaparecimento de garotinhas na metrópole. De personalidade destemida e inteligente, Dilili é capaz de ultrapassar o preconceito e cativar diversas personalidades, que passam a ajudá-la com pistas pelos locais em que transita.
Com esta obra, Ocelot busca apresentar uma aventura repleta de mistérios e descobertas, lugares extraordinários e encontros mágicos, em que a protagonista deve enfrentar as forças malignas e triunfar. A produção venceu o César 2019 de Melhor Animação, a maior premiação do cinema francês.