Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Espetáculo

Edição impressa de 26/11/2019. Alterada em 26/11 às 03h00min

A Tubas se apresentam na Biblioteca Pública do Estado

Apresentação do grupo faz parte do projeto Chapéu Acústico

Apresentação do grupo faz parte do projeto Chapéu Acústico


TAISA ENNES/DIVULGAÇÃO/JC
A Biblioteca Pública do Estado (Riachuelo, 1.190) recebe nesta terça-feira (26) quatro vozes que se apoiam e se harmonizam para dizer, cantar e gritar a condição feminina na contemporaneidade. Integrado ao projeto Chapéu Acústico, o show com As Tubas começa às 19h, com entrada mediante contribuição espontânea.
A Biblioteca Pública do Estado (Riachuelo, 1.190) recebe nesta terça-feira (26) quatro vozes que se apoiam e se harmonizam para dizer, cantar e gritar a condição feminina na contemporaneidade. Integrado ao projeto Chapéu Acústico, o show com As Tubas começa às 19h, com entrada mediante contribuição espontânea.
Concebido a partir de narrativas sobre o feminino e suas vivências, o espetáculo traz Clarissa Ferreira, Emily Borghetti, Morena Bauler e Thays Prado unindo aspectos de música, poesia e dança para manifestar e explorar a autonomia e a liberdade sobre ser, se conhecer e se aceitar. O grupo contará com a participação da compositora e instrumentista Jordana Henriques e deverá trazer, além de canções autorais, poesias de Marília Kosby, Angélica Freitas, Adrienne Rich e Gioconda Belli, entre outras. Bombo, teclado, violino, guitarra e a percussividade das castanholas e do sapateado, aliados às vozes das artistas, se entrelaçam para questionar artisticamente as representações de feminilidade.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia