Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 25 de outubro de 2019.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Cinema

Edição impressa de 25/10/2019. Alterada em 25/10 às 03h00min

Longa francês 'Luta de classes' põe em jogo valores familiares

Filme do diretor Michel Leclerc retrata dilemas de uma família no subúrbio

Filme do diretor Michel Leclerc retrata dilemas de uma família no subúrbio


ALEXIS KAVYRCHINE/DIVULGAÇÃO/JC
Em Luta de classes, o casal Sofia e Paul se muda para uma pequena casa no subúrbio. O longa francês acompanha a história de ambos, protagonizados pelos atores Leïla Bekhti e Édouard Baer, querendo o melhor para o filho Corentin: ela sendo uma excelente advogada de origem magrebina e que cresceu em uma cidade próxima, enquanto ele é um baterista de punk rock e anarquista de coração, cultivando uma falta de ambição que até mesmo ofende algumas pessoas.
Em Luta de classes, o casal Sofia e Paul se muda para uma pequena casa no subúrbio. O longa francês acompanha a história de ambos, protagonizados pelos atores Leïla Bekhti e Édouard Baer, querendo o melhor para o filho Corentin: ela sendo uma excelente advogada de origem magrebina e que cresceu em uma cidade próxima, enquanto ele é um baterista de punk rock e anarquista de coração, cultivando uma falta de ambição que até mesmo ofende algumas pessoas.
Estudante da escola primária local, Corentin se sente solitário após seus amigos abandonarem a escola pública e partirem para a instituição católica São Benedito. Com tais adversidades, como eles conseguem se manter fiéis à escola republicana quando o filho não quer mais ir para lá? Sofia e Paul têm seus valores e ansiedades de pais em conflito, com a família sendo testada em uma luta de classes. Com o filme, o diretor e roteirista Michel Leclerc afirma que procura desvendar sentimentos confusos, destacando que tentar fazer algo corretamente por diversas vezes requer sair do realismo e que o mais fundamental da obra é o ponto de vista.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia