Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de setembro de 2019.
Dia do Administrador e do Médico Veterinário.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

literatura

Edição impressa de 09/09/2019. Alterada em 09/09 às 03h00min

Clarice Lispector é tema do Clube de Leitura do Instituto Ling

A cidade sitiada, livro da autora, irá nortear o encontro na noite de hoje

A cidade sitiada, livro da autora, irá nortear o encontro na noite de hoje


CLAUDIA ANDUJAR/DIVULGAÇÃO/JC
Reconhecida no Brasil e no exterior como uma das maiores escritoras do século passado, Clarice Lispector será o tema do encontro de setembro do Clube de Leitura, que acontece no Instituto Ling (João Caetano, 440) hoje, às 19h30min. Nesta edição, a professora Kathrin Rosenfield, da Ufrgs, fala sobre A cidade sitiada (1948), descrito pela autora como seu livro mais difícil de escrever. Os ingressos custam R$ 40,00, à venda no site e na bilheteria do espaço cultural.
Reconhecida no Brasil e no exterior como uma das maiores escritoras do século passado, Clarice Lispector será o tema do encontro de setembro do Clube de Leitura, que acontece no Instituto Ling (João Caetano, 440) hoje, às 19h30min. Nesta edição, a professora Kathrin Rosenfield, da Ufrgs, fala sobre A cidade sitiada (1948), descrito pela autora como seu livro mais difícil de escrever. Os ingressos custam R$ 40,00, à venda no site e na bilheteria do espaço cultural.
Mesmo tendo nascido na Ucrânia, Clarice Lispector sempre fez questão de descrever a si mesma como uma escritora brasileira. Ela mudou os rumos da narrativa moderna com uma escrita singular, passando por diversos gêneros, do conto ao romance, da crônica à dramaturgia, da entrevista à correspondência e, também, pelas páginas femininas. A leitura prévia de A cidade sitiada é recomendada, mas não obrigatória, já que o intuito da atividade é debater sobre a autora e as nuances da sua narrativa, em um encontro descontraído.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia