Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 19 de agosto de 2019.
Dia Mundial da Fotografia.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

conferência

Edição impressa de 19/08/2019. Alterada em 19/08 às 03h00min

Denis Mukwege é atração hoje do Fronteiras do Pensamento

Médico fundou, no Congo, hospital que trata de mulheres mutiladas, vítimas da guerra naquele país

Médico fundou, no Congo, hospital que trata de mulheres mutiladas, vítimas da guerra naquele país


TRUONG NGOC/DIVULGAÇÃO/JC
Vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 2018, o médico congolês Denis Mukwege é o quarto conferencista do ciclo Fronteiras do Pensamento. O evento acontece hoje, a partir das 19h45min, no Salão de Atos da Ufrgs (Paulo Gama, 110). Os passaportes para a temporada deste ano, que tem como tema central Sentidos da vida, estão esgotados.
Vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 2018, o médico congolês Denis Mukwege é o quarto conferencista do ciclo Fronteiras do Pensamento. O evento acontece hoje, a partir das 19h45min, no Salão de Atos da Ufrgs (Paulo Gama, 110). Os passaportes para a temporada deste ano, que tem como tema central Sentidos da vida, estão esgotados.
Sensibilizado pela precariedade no atendimento às mulheres no Congo, Mukwege especializou-se em ginecologia e obstetrícia na França e na Bélgica antes de regressar a seu país natal. Em 1999, ele fundou o Hospital de Panzi, que trata pacientes mutiladas, vítimas da guerra naquele país. O local já atendeu mais de 85 mil mulheres, em geral oriundas de regiões em conflito, que apresentam danos e traumas ginecológicos.
Com inúmeros prêmios e homenagens no currículo, Mukwege é referência mundial em trabalho humanitário e no tratamento de mulheres vítimas de violência sexual. O trabalho do congolês, infelizmente, também trouxe inimigos. Em 2012, um mês após proferir, na ONU, um discurso pedindo a condenação dos grupos rebeldes em seu país, Mukwege sobreviveu a um atentado, que causou a morte de um de seus colaboradores. Até novembro, o Fronteiras do Pensamento também deve trazer a Porto Alegre os conferencistas Contardo Calligaris, Janna Levin, Luc Ferry e Werner Herzog.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia