Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de agosto de 2019.
Dia do Filósofo.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

ARTES VISUAIS

Edição impressa de 16/08/2019. Alterada em 16/08 às 03h00min

Galeria Mamute abre exposição de Emanuel Monteiro sobre memória e consciência

Produções inéditas de 'Tinha textura o meu silêncio' ficam em cartaz até 29 de novembro

Produções inéditas de 'Tinha textura o meu silêncio' ficam em cartaz até 29 de novembro


REPRODUÇÃO EMANUEL MONTEIRO/DIVULGAÇÃO/JC
A Galeria Mamute (Caldas Júnior, 375/377) recebe, a partir desta sexta-feira (16), a exposição Tinha textura o meu silêncio, de Emanuel Monteiro. Com curadoria de Henrique Menezes, a mostra apresenta desenhos em grandes formatos, obras in situ e projeções de imagens, propondo uma reflexão sobre a memória e a consciência. A abertura acontece às 19h, com entrada franca. A visitação vai até 29 de novembro, sempre de terça a sexta-feira, das 13h às 17h.
A Galeria Mamute (Caldas Júnior, 375/377) recebe, a partir desta sexta-feira (16), a exposição Tinha textura o meu silêncio, de Emanuel Monteiro. Com curadoria de Henrique Menezes, a mostra apresenta desenhos em grandes formatos, obras in situ e projeções de imagens, propondo uma reflexão sobre a memória e a consciência. A abertura acontece às 19h, com entrada franca. A visitação vai até 29 de novembro, sempre de terça a sexta-feira, das 13h às 17h.
Doutorando do Instituto de Artes da Ufrgs, Monteiro vive e desenvolve seu trabalho artístico entre Porto Alegre e Curitiba. Ele atua especialmente com pintura, desenhos e livros de artista. Suas criações configuram-se em módulos de papel dispostos lado a lado, com grossas camadas de tinta e materiais não convencionais como terra, sementes, flores, folhas de ouro, entremeadas com escrita pontiaguda de textos poéticos da literatura.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia