Porto Alegre, quarta-feira, 29 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 29 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

acontece

- Publicada em 03h46min, 27/05/2019. Atualizada em 03h00min, 27/05/2019.

Projeto 'Cenas diversas: cena negra' apresenta espetáculos gratuitos na CCMQ

Cartas a Madame Satã Ou Me desespero sem notícias suas tem sessão na quarta-feira

Cartas a Madame Satã Ou Me desespero sem notícias suas tem sessão na quarta-feira


NOELIA NÁJERA/DIVULGAÇÃO/JC
Com início nesta terça-feira, Cenas diversas: cena negra reúne diversidade e estética afro-brasileira. O projeto vai até quinta-feira, na Casa de Cultura Mario Quintana (Andradas, 736), com espetáculos gratuitos de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.
Com início nesta terça-feira, Cenas diversas: cena negra reúne diversidade e estética afro-brasileira. O projeto vai até quinta-feira, na Casa de Cultura Mario Quintana (Andradas, 736), com espetáculos gratuitos de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.
A primeira montagem é Eu, corpo memória, às 13h30min desta terça-feira (28), na Sala Cecy Frank. A oficina de dança gaúcha é inspirada em mulheres pretas de gerações passadas, com resgate de memória, corporeidade, musicalidade e ancestralidade. O humor fica por conta de Yuri Marçal, importante representante do movimento negro da comédia nacional e fluminense. Seu stand up, que também acontece nesta terça-feira, às 19h, é conhecido pelo humor crítico.
Cartas à Madame Satã Ou Me desespero sem notícias suas é da companhia paulista Os Crespos. A apresentação, na quarta-feira, às 19h, procura investigar as relações existentes entre afetividade, negritude, gênero e o impacto da escravidão na maneira de amar. Por fim, na quinta-feira, o gaúcho Bixas pretas: da rejeição ao fetiche, ao som de MC Carol, Baco Exu do Blues e MC Lin da Quebrada, as coreografias criticam o estereótipo macho-ativo.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO