Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

ACONTECE

Edição impressa de 13/03/2019. Alterada em 13/03 às 01h00min

Hugo França expõem novos trabalhos na Galeria Bolsa de Arte

Exposição com monotipias de Hugo França tem abertura nesta quarta na Galeria Bolsa de Arte

Exposição com monotipias de Hugo França tem abertura nesta quarta na Galeria Bolsa de Arte


GALERIA BOLSA DE ARTE/DIVULGAÇÃO/JC
O artista visual Hugo França apresenta uma novidade em sua produção. Ele lança novos rumos em exposição na Galeria Bolsa de Arte (Visconde do Rio Branco, 365) a partir desta quarta-feira (13), das 19h às 22h. "Apesar de, pela primeira vez, me dedicar a um trabalho no plano bidimensional, não sinto que me afastei da minha poética porque a madeira, o carvão e o verniz são materiais que me acompanham desde o início de minha carreira", completa.
A mostra Hugo França - Impressão vegetal é formada por uma série de monotipias, tendo matrizes feitas de pedaços de troncos, fatias e blocos saídos da criação de suas esculturas mobiliárias. São registros do corpo e da textura da estrutura lenhosa das árvores. A visitação segue até 4 de maio, de segunda a sexta-feira, das 10h às 19h, e sábados, das 10h às 13h30min.
Quando teve seu primeiro contato com Tom Fetch, artista alemão que vive na França, durante a Design Miami de 2016, França jamais poderia imaginar o rumo que essa aproximação apontaria, dois anos mais tarde. Da descoberta de similaridades no trabalho à ida de Fetch até o ateliê de Trancoso não demorou muito. Juntos, trabalharam em um projeto do fotógrafo para uma exposição na Alemanha, mas foi na despedida de Fetch do paraíso baiano que nasceu o grande legado da amizade. Fetch presenteou França com um pacote de papel Arches, sugerindo que ele buscasse um novo viés no seu trabalho através do desenho. Meses depois, o caminho foi encontrado. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia