Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 04 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Acontece

Edição impressa de 04/01/2019. Alterada em 04/01 às 01h00min

Fascículo Escritores Gaúchos sobre Armindo Trevisan já está disponível para download

Fascículos gaúchos

Fascículos gaúchos


/IEL/DIVULGAÇÃO/JC
O Instituto Estadual do Livro (IEL) lança o fascículo Escritores gaúchos - Série digital: Armindo Trevisan, com relatos, fotos, entrevista e trechos da obra que resgatam a trajetória do escritor e crítico de arte Armindo Trevisan. A iniciativa tem edição sob a responsabilidade de Estevão Cogoy e está disponível no link https://bit.ly/2C4nYn1.
A editoração e capa ficaram a cargo de Sérgio Oliveira de Campos; a entrevista, de Luís Dill, e foto da capa, de Dulce Helfer. As imagens que ilustram os textos são de autoria de Dulce Helfer, do acervo pessoal do homenageado e também do IEL. Os textos são de José Eduardo Degrazia (As três fases de Armindo Trevisan), Alcy Cheuiche (O poeta que faz rodopiar o sol), Alexandre Brito (Armindo Trevisan - O badalo que caiu de um sino), Ricardo Silvestrin (A surpresa de ser Armindo Trevisan) e José Paulo Eckert (Armindo Trevisan - Militante do sensível).
Este volume é o terceiro volume da série Escritores Gaúchos, cujo objetivo é divulgar, debater e valorizar autores nascidos ou radicados no Rio Grande do Sul, apresentando e analisando sua vida e obra. Nascido em Santa Maria em 1933, Trevisan tem quase 40 obras publicadas - com poemas e ensaios traduzidos em alemão, italiano, espanhol e inglês. Doutorou-se em Filosofia pela Universidade de Fribourg, Suíça, com ensaio sobre Henri Bergson. Foi bolsista da Fundação Calouste Gulbenkian em 1969 e 1974. Em 2001, foi Patrono da Feira do Livro de Porto Alegre. Recentemente, foi homenageado pela Academia Rio-Grandense de Letras como o Escritor do Ano de 2018.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia