Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de outubro de 2018.
Dia do Professor.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

ACONTECE

Edição impressa de 15/10/2018. Alterada em 15/10 às 01h00min

Filme Djon África tem sessão seguida de debate nesta segunda na Cinemateca Capitólio

Diretor João Miller Guerra e protagonista Miguel Moreira comentam a produção

Diretor João Miller Guerra e protagonista Miguel Moreira comentam a produção


VITRINE FILMES/DIVULGAÇÃO/JC
Não é sempre que se pode acompanhar um filme na presença do diretor e ator da obra. Nesta segunda-feira (15), às 19h30min, na Cinemateca Capitólio Petrobras (Demétrio Ribeiro, 1.085), o diretor João Miller Guerra e o protagonista Miguel Moreira participam da sessão seguida de debate sobre Djon África.
Órfão de mãe, Miguel (Moreira) vive em Portugal com a avó. O jovem decide ir até Cabo Verde à procura do pai, o qual nunca conheceu, e também de sua própria identidade. O problema é que tudo que ele sabe são histórias contadas pela avó, não tendo nem fotos. Miguel, também identificado como Djon e Tibars, irá se deparar com questões de pertencimento e imigração com as quais precisa lidar de modo emocional.
O filme teve a estreia mundial em janeiro como concorrente ao prêmio Tiger no Festival de Cinema de Roterdã. A exibição do longa também ocorreu no festival New Directors/New Films nos Estados Unidos e no Festival Internacional do Uruguai. A abertura do Festival Olhar de Cinema de Curitiba deste ano também ficou a cargo de Djon África.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia