Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 01 de agosto de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Gente

Alterada em 01/08 às 13h59min

Aos 95 anos, morre o artista plástico baiano Mário Cravo Jr.

Folhapress
Último expoente da geração de artistas plásticos modernistas da Bahia, Mário Cravo Jr. morreu nesta terça-feira (1º) em Salvador, aos 95 anos. Ele estava internado há dez dias no Hospital Teresa de Lisieux em Salvador com uma pneumonia e faleceu após falência múltipla dos órgãos.
Escultor, pintor e gravador, Cravo Jr. teve uma trajetória de mais de 70 anos nas artes e se consolidou como um dos mais importantes artistas plásticos do Brasil. Ao lado de nomes como Carlos Bastos e Genaro de Carvalho, ajudou a impulsionar a arte moderna na Bahia e deixou um legado de pinturas, gravuras, desenhos e esculturas. Parte importante de suas obras está em praças e parques de Salvador.
Uma de suas obras mais conhecidas é a escultura "Fonte da Rampa do Mercado", de 1970; Construída com fibra de vidro e com 16 metros de altura, a obra fica na praça Cairu, em Salvador, ao lado do Elevador Lacerda e o Mercado Modelo.
Também é de sua autoria o monumento da Cruz Caída, de 1999, erguida junto à Praça da Sé, porta de entrada do Pelourinho. A escultura que representa a memória Igreja da Sé, demolida nos anos 1930 para dar passagem a uma linha de bonde em Salvador.
Cravo Jr. nasceu em abril de 1923, em Salvador. Filho de uma família de comerciantes da cidade de Alagoinhas, norte da Bahia, passou a infância na capital baiana onde morou no bairro da Ribeira, região da Cidade Baixa.
Ele era pai de Mário Cravo Neto fotógrafo, desenhista e escultor baiano, que se notabilizou sobretudo por retratar ritos de regiões afro-brasileiras e morreu em 2009, aos 62 anos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia