Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 19 de junho de 2018.
Dia do Cinema Brasileiro.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Feira do Livro

19/06/2018 - 14h04min. Alterada em 19/06 às 16h28min

Governo do Estado formaliza apoio financeiro para a Feira do Livro de Porto Alegre

Neste ano, evento se estende do dia 1 até 18 de novembro

Neste ano, evento se estende do dia 1 até 18 de novembro


MARCELO G. RIBEIRO/JC
O governador do Estado José Ivo Sartori (MDB) anunciou na segunda-feira um apoio de R$ 676 mil para a 64ª Feira do Livro de Porto Alegre. O valor, oriundo da aprovação de um projeto do Conselho Estadual da Cultura, vem pela Lei de Incentivo à Cultura (LIC), e soma-se a R$ 1,2 milhão advindos da Lei Rouanet.
O anúncio ocorreu durante reunião com a Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL), presidida por Isatir Antonio Bottin Filho. Na reunião, confirmou-se a cessão do espaço do Memorial do Rio Grande do Sul para sediar parte do evento, que neste ano ocorre entre os dias 1º e 18 de novembro.
O anúncio do apoio do Governo Estadual ocorre pouco mais de uma semana após a controvérsia entre a CRL e o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), por conta da cobrança de aluguel de quase R$ 180 mil para utilização do espaço público da Praça da Alfândega, algo inédito até então. Marchezan voltou atrás dizendo que o valor deve ser revisto.
Conforme o presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL), Isatir Antonio Bottin Filho, o prefeito adiantou, em reunião na última quinta-feira (14), que a cobrança dos R$ 180 mil pela utilização da Praça da Alfândega para a realização da feira foi uma "precipitação" da prefeitura, que chegou inclusive a emitir um boleto com o valor. "Consideramos esse valor muito alto, sem condições de pagar", explicou Isatir.
O dirigente informou que uma nova reunião está agendada para esta quarta-feira, às 14h, diretamente como o Escritório de Eventos da Capital, responsável pela emissão do boleto com a cobrança. Perguntado sobre o risco de a Feira não acontecer neste ano, caso haja uma cobrança de valor semelhante, Isatir negou: "O prefeito certamente irá se sensibilizar com a importância da Feira, que é muito mais que um evento, mas traz um retorno cultural, social e mesmo econômico para Porto Alegre", disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia