Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 30 de junho de 2018.
Dia do Economista.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

artes cênicas

Notícia da edição impressa de 15/06/2018. Alterada em 14/06 às 23h00min

Peça sobre inquietações do mundo tem sessões no Instituto Goethe

Montagem da Cia. Rústica celebra a teatralidade e baseia-se no jogo entre artistas e espectadores

Montagem da Cia. Rústica celebra a teatralidade e baseia-se no jogo entre artistas e espectadores


ADRIANA MARCHIORI/DIVULGAÇÃO/JC
Primeira montagem brasileira para obra da alemã Maria Milisavljevic, Tremor - sobre como as coisas foram chegar nesse ponto tem direção de Patrícia Fagundes. A peça, vista no Palco Giratório, começa temporada até 1 de julho, no Teatro do Instituto Goethe (24 de Outubro, 112). Sessões de sexta-feira a domingo, às 20h, com ingressos a R$ 40,00.
Século XXI, velocidade e fragmentação, música pop e paisagens caóticas de violência e miséria disfarçadas sob luzes de neon. Esse é o universo da peça da Cia. Rústica, que celebra a teatralidade e baseia-se no jogo entre artistas e espectadores.
Uma atriz (Priscilla Colombi) e dois atores (Evandro Soldatelli e Lauro Fagundes) conduzem a jornada, acompanhados de um operador de som em cena (Ander Belotto). A novidade é que a diretora Patrícia Fagundes também atua no espetáculo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia