Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 14 de janeiro de 2022.
Porto Alegre,
sexta-feira, 14 de janeiro de 2022.
Notícia da edição impressa de 14/01/2022.
Alterada em 14/01 às 03h00min

Vindima na serra gaúcha

Ministra da Agricultura, Tereza Cristina participou de rodada de negociação

Ministra da Agricultura, Tereza Cristina participou de rodada de negociação


/Guilherme Martimon / Mapa / Divulgação JC
A serra gaúcha vive um dos momentos mais festivos do ano. É época de vindima, com produtores e turistas comemorando num cenário que encanta a todos, principalmente, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves. A vindima é um período de celebração que vai até março, com muito trabalho para todos aqueles envolvidos com a vitivinicultura e desafios para melhorar o preço mínimo da uva.
A serra gaúcha vive um dos momentos mais festivos do ano. É época de vindima, com produtores e turistas comemorando num cenário que encanta a todos, principalmente, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves. A vindima é um período de celebração que vai até março, com muito trabalho para todos aqueles envolvidos com a vitivinicultura e desafios para melhorar o preço mínimo da uva.
Preço mínimo
"Os produtores têm mais um motivo para comemorar", afirmou o deputado federal gaúcho Afonso Hamm (PP), produtor de uvas em Bagé e que é também presidente Nacional de Estímulo a Uva, Vinhos, Espumantes e Sucos. A notícia boa é que após rodadas de reuniões com a ministra Tereza Cristina (foto), da Agricultura, com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e a Secretaria de Políticas Agrícolas, a comissão conseguiu uma elevação do preço mínimo da uva, que estava em "R$ 1,10, e foi para R$ 1,31, um reajuste próximo de 20%". A ministra Tereza Cristina recebeu nesta quarta-feira, em Santo Ângelo, o pleito do setor vitivinícola, com ênfase no seguro agrícola.
Compensar altos custos
O congressista afirmou que não é o que todos desejavam, mas numa época de pandemia, restrições e cortes, é uma vitória. "Ajuda a compensar os altos custos com os insumos, com os agroquímicos e com o óleo diesel", acentuou o parlamentar do Rio Grande do Sul.
Lideranças trabalhando juntas
O deputado Hamm disse que foi realizado um trabalho amplo das lideranças do setor, em Brasília, em defesa da viticultura, entre eles, o presidente do Sindicato Rural da Serra Gaúcha, Elson Schneider, de Bento Gonçalves; do presidente da Comissão Interestadual da Uva, Cedenir Postal, que destaca que o preço estabelecido ficou abaixo do calculado para o custo de produção, contudo o reajuste representa um aumento histórico para os produtores; pelo deputado estadual gaúcho Elton Weber (PSB), presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária Gaúcha, da Assembleia Legislativa. "Todos empenhados em garantir que a produção de uvas, vinhos, sucos, espumantes e derivados tenha melhores resultados", frisou o presidente Nacional de Estímulo a Uva, Vinhos, Espumantes e Sucos.
Quebra de produção
"Nas uvas precoces, a quebra de produção é significativa. Elson Schneider (presidente do Sindicato Rural da Serra Gaúcha) alertou que a quebra de produção está na ordem de 40% a 50%", acentuou Afonso Hamm.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Edgar Lisboa
Edgar Lisboa
Notícias da capital federal e informações sobre projetos do Congresso Nacional e medidas do Palácio do Planalto, especialmente com interesse do Rio Grande do Sul estão na coluna Repórter Brasília. O jornalista Edgar Lisboa traz um resumo diário do que de mais importante acontece na tramitação do Legislativo e na movimentação da bancada federal gaúcha.