Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 17 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 17 de novembro de 2020.
Notícia da edição impressa de 17/11/2020.
Alterada em 17/11 às 03h00min

Melhor sem padrinho

"Parece que o voto derrotou a rede social", avalia o deputado federal gaúcho Afonso Motta

"Parece que o voto derrotou a rede social", avalia o deputado federal gaúcho Afonso Motta


GUSTAVO LIMA/CÂMARA DOS DEPUTADOS/JC

Em meio à pandemia e à crise financeira, o desempenho de "cabo eleitoral" pelo presidente Jair Bolsonaro não foi bom nas eleições municipais. Nove dos 13 candidatos a prefeito apadrinhados por Bolsonaro perderam as eleições. Dos outros quatro, dois foram eleitos em primeiro turno, Mão Santa, em Parnaíba, no Piauí, e Gustavo Nunes, em Ipatinga, Minas Gerais. Outros dois conseguiram avançar para o segundo turno, Marcelo Crivella, no Rio de Janeiro, e Capitão Vagner, em Fortaleza.

Em meio à pandemia e à crise financeira, o desempenho de "cabo eleitoral" pelo presidente Jair Bolsonaro não foi bom nas eleições municipais. Nove dos 13 candidatos a prefeito apadrinhados por Bolsonaro perderam as eleições. Dos outros quatro, dois foram eleitos em primeiro turno, Mão Santa, em Parnaíba, no Piauí, e Gustavo Nunes, em Ipatinga, Minas Gerais. Outros dois conseguiram avançar para o segundo turno, Marcelo Crivella, no Rio de Janeiro, e Capitão Vagner, em Fortaleza.

Poucos os eleitos

Em quatro capitais importantes, São Paulo, Belo Horizonte, Manaus e Recife, Bolsonaro não conseguiu emplacar nomes. Durante lives, ao longo da última semana que antecedeu o pleito, Bolsonaro, num programa eleitoral próprio, pediu votos para mais de 40 vereadores. Ao todo, 34 não se elegeram.

Lançar mais candidatos não deu certo

O PT de Lula só conseguiu ir para o segundo turno em duas capitais, Vitória, com João Coser, e Recife, com Marília Arraes. "A estratégia de lançar mais candidatos não deu certo", avalia o cientista político Leonardo Barreto.

PDT avançou

O PDT de Ciro Gomes avançou e conseguiu emplacar para o segundo turno nomes em duas capitais: Fortaleza e Aracajú. Em outras duas cidades do País os candidatos de Jair Bolsonaro perderam para candidatos apoiados por Ciro. Em Sobral, no Ceará, venceu Ivo Gomes, e, em Cabo Frio, no Rio de Janeiro, José Bonifácio foi eleito no primeiro turno.

Crescimento do PSOL

O PSOL tem chamado atenção no desempenho do pleito. O partido cresceu na bancada legislativa em São Paulo, cresceu como o candidato mais votado no Rio de Janeiro, cresceu em Porto Alegre, elegendo quatro vereadores. Além disso, conseguiu ir para o segundo turno em São Paulo, com o polêmico Guilherme Boulos.

Bancadas femininas

Entre outros diferenciais na eleição de 2020, houve um aumento das bancadas femininas em boa parte das casas legislativas, como previu, para o Repórter Brasília, a presidente do PSDB-Mulher, Yeda Crusius. Além disso, começaram a ter espaço mulheres negras e também trans. Curitiba, por exemplo, elegeu, pela primeira vez, uma mulher negra, Carolina Dartora, do PT. São Paulo elegeu dois candidatos trans.

Na direção
do centro

O deputado federal gaúcho Afonso Motta (PDT, foto), em uma análise do atual cenário eleitoral, afirmou que "o sentimento generalizado é que, depois de um período de tensionamento provocado pelo presidente da República, houve um arrefecimento da disputa e da tensão, na direção do centro".

Voto derrotou a rede social

Na avaliação do pedetista Afonso Motta, "aquelas posições mais extremadas, de ódio, na disputa pelo processo eleitoral não dão uma avaliação definitiva, porque é um processo eleitoral". Pelo que a gente ainda vê muito nas redes sociais, "parece que o voto derrotou a rede social. A eleição foi disputada no voto, e foi mais na direção do centro".

Comentários CORRIGIR TEXTO
Edgar Lisboa
Edgar Lisboa
Notícias da capital federal e informações sobre projetos do Congresso Nacional e medidas do Palácio do Planalto, especialmente com interesse do Rio Grande do Sul estão na coluna Repórter Brasília. O jornalista Edgar Lisboa traz um resumo diário do que de mais importante acontece na tramitação do Legislativo e na movimentação da bancada federal gaúcha.