Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.
Notícia da edição impressa de 15/07/2020.
Alterada em 15/07 às 03h00min

Sucesso do agronegócio

"Os resultados para a agricultura foram positivos, inclusive a maior safra da história", afirma Heinze

"Os resultados para a agricultura foram positivos, inclusive a maior safra da história", afirma Heinze


BETO BARATA/AGÊNCIA SENADO/JC
Enquanto a pandemia derruba a atividade industrial e a produção de serviços, o agro se mantém como o setor mais firme da economia brasileira, com mais um ano de crescimento garantido, batendo mais um recorde. O Brasil deve atingir 251,4 milhões de toneladas na atual safra de grãos, segundo o Ministério da Agricultura. Serão 3,9 toneladas por hectare, se confirmada a nova estimativa. Em 15 anos, a produção por hectare aumentou 63,4%.
Enquanto a pandemia derruba a atividade industrial e a produção de serviços, o agro se mantém como o setor mais firme da economia brasileira, com mais um ano de crescimento garantido, batendo mais um recorde. O Brasil deve atingir 251,4 milhões de toneladas na atual safra de grãos, segundo o Ministério da Agricultura. Serão 3,9 toneladas por hectare, se confirmada a nova estimativa. Em 15 anos, a produção por hectare aumentou 63,4%.

Maior safra da história

Na avaliação do senador gaúcho Luis Carlos Heinze (PP), "os resultados para a agricultura foram positivos inclusive a maior safra da história, não somente a soja, a produção de grãos no Brasil esse ano, mesmo com a quebra expressiva no Rio Grande do Sul foi a maior safra da história brasileira". O senador destaca: "tivemos uma quebra muito grande de soja e milho no Rio Grande do Sul, e mesmo assim somos o maior produtor de soja do mundo, quer dizer, o aumento da produção de grãos, em geral, também foi significativa".

Ajudar a sair do buraco

"Das carnes, da cana, por exemplo, outro setor, florestas, tudo cresceu nesse ano", comemora Heinze, ressaltando o resultado positivo do agro, da soja, mas observa que toda a agricultura hoje vai nesse sentido. "Está crescendo e é o que vai ajudar o Brasil a sair do buraco."

Abastecimento interno

O congressista chama atenção de que não é só a exportação que devemos avaliar. "Imagina, a galinha botou o ovo. O ovo foi para a indústria de ovos, que embalou com a caixinha de papelão, foi transportado pelo caminhão que chegou no supermercado, essa cadeia do ovo, do leite, do suíno, do frango, do boi, do arroz, se não funcionar, será o caos." Ele conta: "discuti com o (senador) Espiridião (Amin, PP-SC) semana passada, chama-se convulsão social, imagina essas três parcelas de R$ 600,00 que saíram, atenderam 65 milhões de brasileiros que puderam pegar um quilo de arroz, de feijão, enfim, se mantiveram".

Desequilíbrio fiscal

"Imagina se não tivesse a agricultura?", questiona Luis Carlos Heinze. E responde: "essa agricultura com essa safra que tivemos agora, é fundamental para o Brasil respirar e funcionar. Isso vai ajudar a combater o desequilíbrio fiscal, porque é um setor que deu certo, está dando certo e vai continuar dando certo. Agora é recuperar essas margens nossas aí de exportações, tem que pressionar a China, os caras precisam de nós, agora começam a fazer o joguinho deles. Agora, vamos ver se os chineses vão deixar de comprar?", indaga.

Segurança econômica

Com mais uma grande safra de grãos, o agronegócio deve continuar sustentando as contas externas do Brasil. Enquanto isso, os demais setores, especialmente a indústria de transformação, enfrentam severas dificuldades comerciais. Segundo analistas, o superávit no comércio de produtos agrícolas e pecuários é muito mais que um êxito setorial. É um fator de segurança econômica. 
Comentários CORRIGIR TEXTO
Edgar Lisboa
Edgar Lisboa
Notícias da capital federal e informações sobre projetos do Congresso Nacional e medidas do Palácio do Planalto, especialmente com interesse do Rio Grande do Sul estão na coluna Repórter Brasília. O jornalista Edgar Lisboa traz um resumo diário do que de mais importante acontece na tramitação do Legislativo e na movimentação da bancada federal gaúcha.