Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de abril de 2019.
Dia do Infectologista.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Edição impressa de 11/04/2019. Alterada em 11/04 às 03h00min

Cresce apoio à reforma

O apoio à reforma da Previdência cresce na Câmara dos Deputados. Em meio à confusão entre o Palácio do Planalto e o Parlamento, deputados começam a avaliar, sem emoções precipitadas, as vantagens da aprovação da reforma da Previdência. Nas últimas semanas, cresceu o número de parlamentares favoráveis. Cerca de 200 dos 513 congressistas se manifestaram sensíveis à proposta enviada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). Existem boas possibilidades de aumentar o apoio à reforma da Previdência, a depender da qualidade da articulação do governo no Congresso, que se intensifica após as manifestações dos presidentes do Legislativo e do Executivo, na abertura da marcha dos prefeitos.
Dirigentes partidários
A conversa de Bolsonaro com os dirigentes do DEM, PSDB, PSD, PP, PRB e MDB deu início a um positivo ponto que está colocando os dirigentes partidários para pensar. Com os esclarecimentos feitos pelo presidente da República, parece claro que, se não se manifestam favoráveis, os líderes partidários, pelo menos, não farão oposição à proposta do governo.
O fogo amigo
O desafio do Palácio do Planalto continua sendo dobrar parlamentares, principalmente do PSL, e buscar o indispensável apoio no Congresso Nacional. Dos 54 deputados do partido do presidente, apenas 34 garantiram voto para aprovação da proposta. Não restam dúvidas que o governo terá de alterar seu projeto de reforma para adequá-lo às demandas dos parlamentares.
Mudanças das regras
Como já dissemos nesta coluna na semana passada, há, aparentemente, uma forte rejeição às mudanças das regras propostas para concessão de aposentadoria rural e do benefício assistencial pago a idosos de baixa renda (BPC). O ponto positivo é que o governo, em meio a esse tiroteio sem alvo, já sinalizou disposição de tornar mais leves esses pontos. Outro item que enfrenta resistência é a introdução do modelo de capitalização, em que o aposentado recebe aquilo que contribuiu ao longo dos anos em uma conta individual. O relatório da reforma da Previdência foi apresentado nesta terça-feira à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. A votação está prevista para o próximo dia 17.
Ametista do Sul
Entre os prefeitos que vieram a Brasília participar da marcha convocada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) estava Gilmar da Silva (PDT), prefeito de Ametista do Sul, cidade com 8 mil habitantes que fica a 465 quilômetros de Porto Alegre, na Região do Alto Uruguai. Um polo exportador de pedras e que atrai turistas dos diversos continentes, não só pelas ametistas, mas também por abrigar um restaurante construído dentro de uma caverna.
Exportação de pedras
O prefeito comemora que o município exporta pedras preciosas, principalmente ametistas. "Nós, do município de Ametista e Soledade, exportamos, só nos anos de 2016 e 2017, em torno de US$ 80 milhões somente em pedras ametistas." A grande maioria, mais de 80%, exportada para China, Estados Unidos, Emirados Árabes e também para a Índia, que está comprando a nossa pedra. Quanto aos governos do Estado e federal, Gilmar da Silva avaliou que tem "boa expectativa".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia