Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de março de 2019.
Dia Internacional do Teatro e Dia do Circo.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Edição impressa de 27/03/2019. Alterada em 26/03 às 22h15min

Previdência separada

Marcel van Hattem

Marcel van Hattem


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Na opinião do deputado federal gaúcho Marcel van Hattem (Novo), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) deveria ter mandado para o Congresso Nacional a previdência dos militares separada da questão da carreira. Segundo o parlamentar, isso vai significar muito debate no Congresso. "Acho uma pena, porque eu entendo os anseios dos militares." Na avaliação de van Hattem, "a gente vê no texto que existe muita defasagem em relação aquilo que outras categorias recebem, mas realmente isto está gerando muito mal-estar no Congresso e também nos outros militares, nos estaduais, enfim, porque, no final das contas, acabam se misturando dois assuntos que não deveriam se misturar", opinou o congressista gaúcho.
Corrigir distorções
A reforma da Previdência vem para fazer que o sistema previdenciário brasileiro seja mais justo, afirma o deputado van Hattem. "Nós não podemos conviver com uma situação que transfere dinheiro dos mais pobres para os mais ricos. Devemos diminuir o fosso que há hoje entre as categorias de cidadãos que são vistos como tais." Segundo o parlamentar, "se avaliarmos hoje a Previdência no Brasil, em média, um trabalhador da iniciativa privada se aposenta com R$ 1.200,00 e, no serviço público, com mais de R$ 9.100,00". Na visão do Congressista, "uma tremenda injustiça, precisamos corrigir essas distorções".
Brasil mais justo
O deputado lembra que o Parlamento está sendo chamado pela sociedade brasileira que quer uma Nação que volte a ser admirada. Van Hattem enfatiza que "o partido Novo defende uma reforma da Previdência que combata privilégios, equalize a todos e faça que tenhamos um Brasil mais justo".
Pacote anticrime
O deputado federal gaúcho Ubiratan Sanderson (PSL) quer urgência no trâmite do pacote anticrime, assim como no caso do projeto de lei que prevê o fim do foro privilegiado. O parlamentar esteve com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, a quem reafirmou o apoio para que o "pacote anticrime e de combate à corrupção seja encaminhado para a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime organizado".
Moro no Senado
O ministro Sérgio Moro estará nesta quarta-feira, às 10h, no Senado para defender o seu pacote anticrime e de combate à corrupção, poucos dias depois do embate público com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O convite é do senador gaúcho Lasier Martins (Pode), que fará a recepção ao ministro na Comissão de Constituição e Justiça. O senador já havia defendido Sérgio Moro na semana passada logo após as duras críticas do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), em meio à queda de braço com o Palácio do Planalto.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia