Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 19 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Edição impressa de 19/03/2019. Alterada em 18/03 às 01h00min

MDB na aliança de centro

O deputado federal gaúcho Alceu Moreira (MDB) relançou, neste fim de semana, seu partido como forte candidato a liderar a aliança de centro que está em articulação no Congresso Nacional. Com a crescente desconfiança de uma penca de legendas nos rumos das radicalizações, tanto à direita quanto à esquerda, o bloco batizado de "centrão" voltou a aparecer como moderador dos embates no Congresso. Esse agrupamento parlamentar era identificado como chamado baixo clero. Agora, entretanto, o MDB parece disposto a assumir o comando do bloco. Neste sentido, comentava-se, na manhã desta segunda-feira, nos corredores da Câmara, o evento partidário organizado no Rio Grande do Sul por Moreira, que é o presidente do diretório regional do partido no Estado.
Voz ecoa grossa e vai longe
É preciso lembrar que Moreira é o presidente da poderosa Frente Parlamentar da Agricultura, mais conhecida como Frente Ruralista, agrupamento temático do Congresso que reúne quase 300 deputados e senadores, além de ter grande influência no ministério da Agricultura. A pasta é comandada por sua antecessora na frente, deputada Tereza Cristina (DEM-MS). Portanto, quando Moreira abre a boca, sua voz ecoa grossa e vai muito longe.
Revolução Farroupilha
O encontro realizou-se na emblemática praia de Imbé, na margem esquerda do rio Tramandaí, a poucos metros do lugar em que o Herói dos Dois Mundos, Giuseppe Garibaldi, lançou ao mar seus navios que trouxera por terra para atacar Santa Catarina e fundar a República Juliana, ponto alto da Revolução Farroupilha. Moreira, ex-prefeito de Osório, conhecedor da História, sabia o significado da escolha do local para se lançar na conquista do comando nacional de seu partido. É uma possibilidade real, comenta-se no Parlamento em Brasília. O evento, denominado "O Brasil que saiu das urnas - as novas perspectivas de representação" teve a presença de grandes estrelas da ciência política midiática no País, com filósofos que dominam o cenário de formulação na atualidade: Fernando Schüler, cronista do jornal Folha de S. Paulo, comentarista da Rede Band, e curador do projeto nacional de altos estudos "Fronteiras do Pensamento", além de professor do Insper; o outro foi Luís Felipe Pondé, colunista da Folha de S. Paulo e figura presente na mídia e conferencista em eventos pelo País inteiro. Isto conferiu uma musculatura inédita para o simpósio.
Chamando o MDB às falas
Além das estrelas nacionais, Moreira deu destaque às participações dos professores Gustavo Moraes, coordenador dos cursos de Economia da Pucrs (foi "Economista do Ano" em 2018) e João Alberto Machado, presidente da secção riograndense da Fundação Ulisses Guimarães, órgão formador de ideologia do MDB. Na abertura, Moreira foi discreto, evitando se oferecer para um projeto nacional nesse sentido, mas chamando o MDB às falas: "Discussões como esta têm o objetivo de nos abastecer de informação, para que tenhamos condições de fazer nossa análise crítica e construirmos novos conceitos e descobertas". Ou seja: um rumo para o velho partido que o ex-senador gaúcho Pedro Simon sempre chamou de MDB.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia