Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Edição impressa de 17/12/2018. Alterada em 17/12 às 01h00min

Mais voz à intolerância

Diversos congressistas têm se manifestado sobre os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A deputada federal gaúcha Maria do Rosário (PT) disse que, por mais que o direito seja garantido na Constituição, muitos dos grupos políticos representados na Câmara prestam um desserviço ao Brasil, por questionarem os princípios contidos no documento internacional. Para Maria do Rosário, forças que emergiram de grupos conservadores e de extrema direita, em vez de lutarem pela garantia dos direitos humanos, incentivam matadores de integrantes de grandes movimentos sociais como os sem terra, dando mais voz à intolerância.
Frente agropecuária
Como a coluna já havia antecipado, o deputado federal gaúcho Alceu Moreira (MDB) será o presidente da Frente Agropecuária a partir de 2019. A confirmação ocorreu durante a tradicional reunião-almoço dos parlamentares ligados ao setor, na semana passada. Os vice-presidentes serão Sérgio Souza (MDB-PR) na Câmara e o gaúcho Luis Carlos Heinze (PP) no Senado. A Frente Parlamentar da Agropecuária ou do Agronegócio, como é também conhecida, é considerada a maior e mais influente organização pluripartidária do Congresso Nacional, reunindo mais de 200 deputados e senadores que atuam em defesa do setor primário. Alceu Moreira também é pré-candidato à presidência da Câmara dos Deputados, com chances, já que tem respeito e bom trânsito no governo e no Congresso Nacional.
Mais prêmios para Cazarré
O jornalista gaúcho Lourenço Cazarré recebe amanhã, em Curitiba, o Prêmio Paraná de Literatura 2018 na categoria romance. Na ocasião, será lançado o livro Kzar Alexander, o louco de Pelotas, editado pela Biblioteca Pública do Paraná (BPP). Ainda em 2018, Cazarré ganhou dois outros importantes prêmios literários. Venceu o Prêmio Literário Biblioteca Nacional, na categoria juvenil, com a novela "Os filhos do deserto combatem na solidão", lançado pela Companhia Editora de Pernambuco. Já no Prêmio Literário Cidade de Manaus, o jornalista pelotense saiu vencedor na categoria teatro adulto com "Teatro da Bolsa: Valores".
Pinheirinho do Vale
Como outros municípios gaúchos, Pinheirinho do Vale - com 4.800 habitantes e uma economia baseada na pequena propriedade, na Região Norte do Estado - tem uma dependência grande da suinocultura, da bovinocultura, do leite, do fumo e da prestação de serviços, explica o prefeito Elton Tatto (PDT, foto), que esteve em Brasília na semana passada. Por falta de recursos, a pavimentação de 18 quilômetros da sede do município até a rodovia principal, não está andando.
Incentivos aos jovens
Segundo o prefeito, Pinheirinho do Vale não tem problemas de desemprego. "Estamos viabilizando muitos investimentos na pequena propriedade para manter os jovens na terra. O que desejamos no próximo governo é uma gestão séria, equilibrada, muito coerente na aplicação dos recursos. Espero também que o presidente eleito, de fato, volte o olhar para o pacto federativo." O presidente da Câmara de Vereadores, Dirceu Antônio Gorziza (PDT), comemora a união entre o Executivo e o Legislativo em favor de Pinheirinho do Vale. "Nós lá somos uma família," disse, na Câmara dos Deputados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia