Porto Alegre, quarta-feira, 07 de outubro de 2020.
Dia do Compositor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 07 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eleições 2020

- Publicada em 00h36min, 07/10/2020.

Montserrat Martins (PV): Plano Diretor deve preservar Zona Rural

"Porto Alegre tem um tesouro, a área rural", destaca Montserrat

"Porto Alegre tem um tesouro, a área rural", destaca Montserrat


JOYCE ROCHA/JC
Dos desafios que a futura gestão municipal enfrentará em Porto Alegre, um dos principais será a revisão do Plano Diretor. O plano atual é de 1999 e aprimeira revisão entrou em vigor em 2010. Uma nova revisão está emandamentoe será concluída no próximo mandato. Para saber que perfil de planejamento urbano teremos nos próximos 10 anos, a coluna perguntou a candidatos e candidatas à prefeitura como pretendem conduzir a revisão e o que esperar do Plano Diretor na sua gestão.
Dos desafios que a futura gestão municipal enfrentará em Porto Alegre, um dos principais será a revisão do Plano Diretor. O plano atual é de 1999 e aprimeira revisão entrou em vigor em 2010. Uma nova revisão está emandamentoe será concluída no próximo mandato. Para saber que perfil de planejamento urbano teremos nos próximos 10 anos, a coluna perguntou a candidatos e candidatas à prefeitura como pretendem conduzir a revisão e o que esperar do Plano Diretor na sua gestão.
Montserrat Martins (PV)
“Porto Alegre tem um tesouro, a área rural, que está perdendo espaço para a especulação imobiliária por falta de planejamento”, alerta Montserrat Martins (PV). Ele sustenta que o principal ponto que deve ser tratado na revisão do Plano Diretor é a preservação da Zona Rural. Levar moradias para lá iria requerer também obras de infraestrutura, prejudicando também o ambiente e a qualidade do ar que “ainda permite que o clima da cidade não esteja pior”.
Uma das propostas do candidato é estimular a produção de orgânicos a partir de uma política integrada que dialogue com outros eixos da cidade. “Queremos estimular a aquisição (dos orgânicos) para creches e escolas municipais. (Isso estimula) alimentação sadia e estimula que se aumente a geração de renda para quem produz sem agrotóxico”, pontua. Outro ganho para a cidade é que, a produção dos insumos alimentares das escolas sendo feita dentro da própria cidade, diminui o trânsito de caminhões vindos de fora melhorando a qualidade do ar.
Montserrat também propõe a busca de financiamento para a mudança da matriz energética dos veículos de transporte coletivo para modelos não poluentes, como ônibus elétrico, VLT e aeromóvel, e estímulo a espaços de convivência. Além disso, alerta que “a prefeitura deve agir para impedir a instalação da Mina Guaíba” - proposta de uma mina a céu aberto em área entre Eldorado do Sul e Charqueadas, a cerca de 20 quilômetros do Centro de Porto Alegre.
Comentários CORRIGIR TEXTO