Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de agosto de 2020.
Dia do Maçom.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 20 de agosto de 2020.
Notícia da edição impressa de 20/08/2020.
Alterada em 19/08 às 21h32min

Fundopem e investimentos

"Fundopem ignora a pandemia e pode fechar 2020 com alta de 30% nas contratações" (Reportagem Especial, caderno Empresas&Negócios, Jornal do Comércio, edição de 17/08/2020). Parabéns ao jornalista Sérgio Bueno pela exposição clara e didática. (Nadir Andreolla)
"Fundopem ignora a pandemia e pode fechar 2020 com alta de 30% nas contratações" (Reportagem Especial, caderno Empresas&Negócios, Jornal do Comércio, edição de 17/08/2020). Parabéns ao jornalista Sérgio Bueno pela exposição clara e didática. (Nadir Andreolla)
Pensar a cidade
Pedágio pode degradar o Centro da Capital, diz especialista (coluna Pensar a cidade, JC, 19/08/2020). São nossos políticos distorcendo o que de bom acontece pelo mundo. Outras cidades na Europa já implantaram algo semelhante. A diferença é que primeiro se qualifica o transporte público, depois impõe restrições. Não sairemos desse buraco nunca. Essa medida tem o objetivo de encher bolsos das empresas de transporte, que prestam um péssimo serviço desde sempre. Triste. (Michelle Landgraf, cozinheira e sommelier, Porto Alegre)
Auxílios federais
Quando se vê tantas críticas ao governo federal, que seria culpado pelas mortes em alto número pelo coronavírus no Brasil, pouco se divulga o que li (Jornal do Comércio, página 5, edição de 18/08/2020), dizendo que o governo já liberou 54% de crédito extraordinário, a fabulosa quantia de R$ 511,3 bilhões. Isso é o que o governo federal poderia fazer e fez. Há muita má vontade contra o governo federal. (Abelardo de Moura Xavier, Porto Alegre)
Reportagem Cultural
Parabéns pela excelente reportagem "Missões, terra e guitarra" (caderno Viver, 14/08/2020). O JC sempre nos surpreende ao conseguir atender pautas culturais e sociais de âmbito estadual raramente contempladas pelos demais jornais. (Pedro Luiz S. Osório)
Reportagem Cultural II
Excelente a matéria sobre Pedro Ortaça. Textos assim, ricos e bem escritos, motivam-nos a preservar "de onde viemos". Muito obrigado! (Adão Magnus Marcondes Proença)
Golpes
Golpes sempre existiram, usando a telefonia. Mas, com a pandemia, eles se avolumaram e têm pessoas que deveriam ter mais cuidado. Aceitam qualquer "recomendação" bancária que recebam ou do INSS, geralmente para regularizar cartões de crédito ou aquele com o qual sacam a sua aposentadoria ou pensão da Previdência. Dia desses, conhecida minha disse que havia entregue o cartão de crédito que "fora bloqueado", por telefonema do seu banco, e que um motoboy iria buscá-lo. Não só foi como ela teve uma boa quantia sacada da sua conta. Golpe. Portanto, fica o aviso: ninguém pede cartão de crédito em casa e muito menos o INSS telefona para regularizar o seu cartão de benefícios. Se receberem um desses pedidos, digam, que irão a banco ou a uma agência do INSS tratar do assunto. E desliguem. (Lourdes Maria de Celina, Porto Alegre)
 
Comentários CORRIGIR TEXTO
Roberto Brenol Andrade
Roberto Brenol Andrade
A opinião dos leitores do Jornal do Comércio é publicada diariamente no espaço Palavra do Leitor.