Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 19 de julho de 2020.
Nelson Mandela Day.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 19 de julho de 2020.
Notícia da edição impressa de 20/05/2020.
Alterada em 20/05 às 03h00min

Futuro do varejo

Tem que deixar abrir todas as atividades em Porto Alegre. São quase dois meses fechadas e não se tem ganho algum ("A reinvenção do varejo", Reportagem Especial, Jornal do Comércio, caderno Empresas&Negócios, edição de 18/05/2020). Como vou manter meus três funcionários e ganhar alguma receita? Está demais. Enquanto vejo supermercados, farmácias e outros serviços funcionando, e sem que haja qualquer morte neles. Aliás, até agora, não foi noticiada nenhuma morte - felizmente - de empregados dessas atividades permitidas. (Rosemary Talles, Porto Alegre, comerciante)
Tem que deixar abrir todas as atividades em Porto Alegre. São quase dois meses fechadas e não se tem ganho algum ("A reinvenção do varejo", Reportagem Especial, Jornal do Comércio, caderno Empresas&Negócios, edição de 18/05/2020). Como vou manter meus três funcionários e ganhar alguma receita? Está demais. Enquanto vejo supermercados, farmácias e outros serviços funcionando, e sem que haja qualquer morte neles. Aliás, até agora, não foi noticiada nenhuma morte - felizmente - de empregados dessas atividades permitidas. (Rosemary Talles, Porto Alegre, comerciante)

Retorno

Pelo movimento que vi nas ruas da cidade na segunda-feira, dia 18 de maio, penso que os porto-alegrenses estão ansiosos pela volta à normalidade, deixando em casa apenas as pessoas de maior risco com o coronavírus. Automóveis por todos os lados, pessoas com máscaras, a maioria, muitas lojas abertas, apesar do ainda fraquíssimo movimento de compras. Espero que o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) libere mais atividades nesta semana. (Marli Ecthevaray, microempresária, Porto Alegre)

Frigoríficos

Os adeptos da teoria da conspiração devem estar intrigados com o número de frigoríficos com problemas de contaminação pela Covid-19. Justamente um dos setores de maior importância para a economia do Estado e geração de divisas pelas exportações. (Getúlio Dorneles F. da Silva, administrador, Porto Alegre)

Frigoríficos II

Tem que divulgar bastante, agora que frigoríficos no Texas, Estados Unidos, tiveram muitos dos seus funcionários infectados pela Covid-19. Quando foi aqui no Rio Grande do Sul, a mídia falou e ainda fala muito no assunto, e a imprensa dos norte-americanos logo tratou de ampliar o assunto, visando, é claro, ao bloqueio das exportações brasileiras de carne, que concorrem com os produtos deles. Vamos alertar o mundo também que lá os frigoríficos são focos da pandemia do coronavírus. (Frederico Lins, Jaguarão/RS)

Auxílios federais

O governo federal ampliou o auxílio emergencial para milhões de brasileiros, antecipou o pagamento da segunda cota mensal, colocou mais dinheiros para pequenas e microempresas, lançou dinheiro para estados e prefeituras, e, mesmo assim, leio que o Brasil não está fazendo nada para conter o coronavírus e suas consequências na economia. Como é isso? As redes hospitalares e as medidas para combater a Covid-19 estão sob a liderança de governadores e prefeitos, segundo decisão do Supremo Tribunal Federal. Queriam que o presidente Bolsonaro fosse para as ruas dar receita da cloroquina? (Nataniel Gonzaga)
 
Comentários CORRIGIR TEXTO
Roberto Brenol Andrade
Roberto Brenol Andrade
A opinião dos leitores do Jornal do Comércio é publicada diariamente no espaço Palavra do Leitor.