Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 04 de outubro de 2019.
Dia do Barman e dia Mundial dos Animais.

Jornal do Comércio

Notícia da edição impressa de 04/10/2019.
Alterada em 04/10 às 03h00min
COMENTAR | CORRIGIR

GeraçãoE

Parabéns às empreendedoras de all sizes, com vestidos e modas para todos os tipos de corpos das mulheres ("Me nota!", caderno GeraçãoE, Jornal do Comércio, edição de 12/09/2019). As mulheres não podem ser padronizadas como as modelos magérrimas que servem apenas de "cabides" para os estilistas europeus. (Aureliano Fontoura de Marquez, Porto Alegre)
Parabéns às empreendedoras de all sizes, com vestidos e modas para todos os tipos de corpos das mulheres ("Me nota!", caderno GeraçãoE, Jornal do Comércio, edição de 12/09/2019). As mulheres não podem ser padronizadas como as modelos magérrimas que servem apenas de "cabides" para os estilistas europeus. (Aureliano Fontoura de Marquez, Porto Alegre)
Concursos
Pelo que leio nas mídias, só quem tem cursos superiores de Medicina e Direito tem alguma chance em concursos públicos no Rio Grande do Sul. É só o que as prefeituras pedem, ou, sem curso superior, motoristas de caminhões e máquinas. Convenhamos, aí fica difícil conseguir uma vaga, em meio a milhares de concorrentes. Mas médicos e advogados estão com tudo... (Juliana Hentske)
Fundo partidário
Enquanto há 13 milhões de desempregados, os partidos vão ganhar uma fábula de dinheiro para gastar em propaganda política, o fundo partidário. Ora, não era melhor guardar esse dinheiro para aplicar onde é mais do que necessário? Os partidos que tratem de pedir doações aos seus simpatizantes para fazer campanha. (Suely Norma Ritzel, Novo Hamburgo/RS)
Camelôs no Centro
No último fim de semana, vi policiais militares e da Guarda Municipal correndo, na Rua da Praia, atrás de camelôs que vendiam seus produtos. A maioria, pelo que soube, era de haitianos. Mesmo entendendo que eles prejudicam o comércio formal, que emprega e paga muitos impostos no Centro Histórico, acho que deveria haver um trabalho menos espetaculoso. Os camelôs corriam carregando suas mercadorias, a maioria, como noticiado, vinda como contrabando da China. (Anamélia Ferraz Cauduro, Porto Alegre)
Trânsito
É repetitivo falar no assunto, mas no trânsito estão morrendo muitos brasileiros em rodovias e nas cidades. Parece que há uma cultura de irresponsabilidade. Campanhas são feitas, e tudo continua igual. Famílias inteiras têm morrido nas rodovias, inclusive aqui no Rio Grande do Sul. Uma tragédia! (Silvino Barcellos, Porto Alegre)
Português massacrado
As redes sociais e as páginas informativas estão massacrando a língua portuguesa. O verbo haver, coitado, aparece como "houveram vários incidentes" ou "haviam cerca de 1.300 passageiros". Não têm um revisor para essas páginas? O certo seria "houve" e "havia", não? (Maria Cecília Mendes, Porto Alegre)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia