Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 17 de maio de 2019.
Dia Internacional contra a Homofobia. Dia Mundial da Internet.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Edição impressa de 17/05/2019. Alterada em 17/05 às 03h00min

Parquímetros não funcionam

Canoas tem o mesmo problema que os parquímetros de Porto Alegre (Jornal do Comércio, 15/05/2019), principalmente os novos equipamentos. Uns funcionam, outros não. Uns aceitam cartão de crédito, outros não. E se o motorista deixar o automóvel em Canoas sem o tíquete porque o parquímetro mais próximo não está funcionando, em vez de pagar R$ 1,00 ou R$ 2,00, conforme o tempo, acaba pagando R$ 10,00 para o fiscal de trânsito, sempre aparecendo após para multar e não ligando para o parquímetro não estar funcionando. Pode ser assim? (Sérgio Outeiral, Canoas/RS)
Carvão
"Copelmi avalia ampliar projeto carboquímico" (Jornal do Comércio, 15/05/2019). Espero que desta vez realmente se confirme. Desde guri que vejo governos e empresários falarem destes investimentos, para logo depois caírem no esquecimento. É uma riqueza que não podemos desprezar, ainda mais na penúria em que se encontra o Estado. Vamos torcer. (Paulo Roberto Brambilla, Tramandaí/RS)
Poluição
Há três anos temos uma providencial ecobarreira no Arrio Dilúvio. Com isso, centenas de toneladas de detritos não foram parar no Guaíba. Que ação meritória, pois os porto-alegrenses que habitam nas ruas próximas do Dilúvio o transformaram em cloaca, em lixeira a céu aberto. Isso é profundamente lamentável. (Márcio Holembach)
Mais Médicos
Os cubanos do Mais Médicos foram embora. Alguns que ficaram estão sem poder exercer a Medicina, pois precisam fazer o Revalida, coisa que o atual governo não faz com presteza. Enquanto isso, mesmo com salários de cerca de R$ 13 mil, os médicos jovens não querem ir para cidades pequenas, no interior do Rio Grande do Sul. Aí, as populações carentes ficam sem assistência. Está errado. O Mais Médicos era um bom programa (Sueli Carvalho, Porto Alegre/RS)
Vigilantes
Pelo que tenho visto, as empresas de vigilância privada deveriam treinar bem melhor os seus integrantes. Têm armas e as usam sem necessidade, por problemas como nas entradas das portas giratórias dos bancos. Mais treinamento antes de dar uma arma para algumas pessoas que, para mim, não têm preparo psicológico algum para portá-la. (Rubens Enderlech, Ivoti/RS)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia