Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Edição impressa de 25/03/2019. Alterada em 24/03 às 21h38min

Frieza chocante

O Caderno Panorama, edição do Jornal do Comércio de 19/03/2019, brinda-nos com uma joia. Trata da tortura institucionalizada e praticada por torturador confesso, chamado de Pastor Claudio que, segundo o próprio, ao que se lembra, matou nove pessoas e incendiou os corpos de outras tantas. Tal assunto remete a um filme chamado O Silêncio dos Outros, ora em cartaz, de produção na Espanha e na Argentina, que trata da busca da memória e corpos de milhares de desaparecidos pela repressão do Generalíssimo Franco. Como no Brasil, foram anistiados os "mortos e os torturadores". Ambos grupos se mantêm em silêncio. Fica o alerta: Não julguemos as pessoas pelo que elas pensam. Além do perigo da discriminação de pensamento há o risco latente da eliminação do indivíduo. (João Carlos Wilhelm Coelho, engenheiro)
Déficit da Previdência
O governo - e não apenas o atual, mas também os anteriores - alertam e alertavam para o gigantesco déficit da Previdência. Agora, projetos modificam os modelos dos civis, sejam do INSS ou servidores públicos e militares. Aí vem a turma dos auditores, que ganham muito bem, aliás merecem, dizer que não haverá economia alguma e os que ganham menos serão os prejudicados. Então que lancem propostas. Só criticar não dá. (José Carlos Mello, Porto Alegre)
Gal Costa
Assisti aos dois shows, de Pepino di Capri e de Gal Costa, no Teatro da Fiergs. Pepino di Capri, com 79 anos, continua encantando, porém só cantou duas músicas bem conhecidas no Brasil, Roberta e Champanhe. As outras, poucos conheciam. Já Gal Costa, além da facilidade das músicas em português, fez o público dançar com canções bem conhecidas. Capri voltou ao palco a pedido e cantou mais uma música. Gal voltou e cantou três, foi aplaudida de pé. Mas, ambos os shows valeram demais. (Nélio Fontoura, Porto Alegre)
Sobremesas
Em relação à nota sobre o cansaço com o Petit Gateau (coluna Começo de Conversa, Jornal do Comércio, 20/03/2019), é sabido e consabido que a sobremesa Rei Alberto jamais deveria ter saído ou diminuído a sua presença no front do pós-almoço. É simplesmente de excelência! (Nadir Silveira Dias, Porto Alegre)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia