Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 15 de março de 2019.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Edição impressa de 15/03/2019. Alterada em 14/03 às 01h00min

Ponte norio Caí

Lendo a reportagem "Uma nova ponte perto de virar realidade" (De Frente para o Guaíba, Jornal do Comércio, edição de 01/03/2019), fico feliz e perplexo ao mesmo tempo, pois diante da grandiosidade dessa obra sobre o Guaíba e o tempo de sua duração, questiono: o que está acontecendo na ponte sobre o rio Caí, entre Montenegro e Nova Santa Rita, no quilômetro 427, que desde 2012 não tem solução? (José Frederico Ely)
Expodireto
A Expodireto está dando esperança para a economia gaúcha. É disso que precisamos e logo, sem demora, acionar a economia para termos mais empregos. (Antúlio Lincoln)
Gafes
As gafes que estão sendo cometidas pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) levam justificáveis preocupações à sociedade. Embora esteja recentemente iniciando seu mandato, espera-se que não venha a repetir o período Lula/Dilma (PT) de constantes manifestações inquietantes. (Roberto Fissmer, Porto Alegre)
Massacre em Suzano
Terrível o que aconteceu em escola pública estadual de Suzano, São Paulo. Dois rapazes, dos quais ninguém desconfiava pudessem fazer o que fizeram, mataram oito pessoas, feriram mais oito ou nove e, depois, se mataram. Até quando conviveremos com tantos crimes no Brasil? (Rafael Mantega, Porto Alegre)
Caso Bernardo
O que mais entristece saber é que o menino Bernardo, assassinado, procurou, sozinho e por conta própria, o Ministério Público pedindo para não mais morar com o pai e a madrasta. Ninguém deu ouvidos. Aí, ele foi morto. Simples assim? Não, falta de ação. (Júlio Herceval, Barra do Ribeiro/RS)
Caso Bernardo II
É difícil aceitar que um pai biológico, médico conceituado em sua pequena cidade do Interior gaúcho, tenha sido mentor do assassinato do próprio filho. Como dizia minha vó: onde vamos parar, desse jeito? (Júlia Taídes, Porto Alegre)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia