Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 08 de janeiro de 2019.
Dia Nacional do Fotógrafo.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Edição impressa de 08/01/2019. Alterada em 08/01 às 01h00min

Economia de gastos

O governador Eduardo Leite (PSDB) começou o seu mandato prometendo cortar R$ 1 bilhão nos seus quatro anos de governo (Jornal do Comércio, página 5, edição de 03/01/2019). É uma boa iniciativa, mas que não resolverá o déficit brutal do Rio Grande do Sul. Só na Previdência gaúcha, li que está em cerca de R$ 11 bilhões. Tem que economizar mais, combater a sonegação sem tréguas e fazer investimentos que gerem muitos empregos. (Nelson Fagundes, Novo Hamburgo/RS)
Energia eólica
Está em curso o maior projeto de energia eólica do Rio Grande do Sul. Trata-se do Complexo Ventos do Atlântico, no distrito de Bojuru, em São José do Norte, ocupando área de 15,8 mil hectares na região eólica Costa Leste da Lagoa dos Patos. Investimento de R$ 4 bilhões, com 290 aerogeradores, com 870 MW. (Paulo Gastal Neto, Pelotas/RS)
Insegurança
Continua a insegurança em todo o Brasil. Aqui no Estado, matam sem dó nem piedade para roubar um celular ou R$ 500,00. É uma barbárie. Aí, vão para a prisão e, de lá, comandam o crime aqui fora. Temos necessidade de prisões de segurança máxima, mas fora das cidades, isoladas, sem sinal de celular, essa maravilha tecnológica mas que tem servido demais à bandidagem. Ou as cadeias continuarão como "escritórios particulares" de ladrões, assassinos e traficantes. (Carla Fontes, Guaíba/RS)
Correção do FGTS
O Diário Oficial da União de 30/06/2001 publicou a Lei Complementar nº 110, de 29 de junho de 2001. No seu art. 4º, a Caixa Econômica Federal (CEF) foi autorizada a creditar nas contas vinculadas ao FGTS, a expensas do próprio Fundo de Garantia, o complemento de atualização monetária resultante da aplicação, cumulativa, dos percentuais de 16,64% e de 44,08% sobre os saldos das contas mantidas, respectivamente, de 1 de dezembro de 1988 a 28 de fevereiro de 1989 e durante o mês de abril de 1990 (Planos Verão e Collor). Mas, a maioria dos gerentes da CEF em Porto Alegre diz que não sabe do que se trata. Uma exceção é a agência da Caixa no Bourbon Ipiranga, cujo gerente conhece a lei e apenas solicita o número do PIS para verificar o saldo a receber, se for o caso. (Roberto Andrade)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia