Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de novembro de 2018.
Dia Nacional da Consciência Negra. Dia Universal das Crianças.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Edição impressa de 13/11/2018. Alterada em 13/11 às 01h00min

Itália pede ajuda

Estimado jornalista Fernando Albrecht, nosso agradecimento pela publicação em sua página Começo de Conversa (Jornal do Comércio de 07/11/2018), da nota sob o título Itália pede ajuda. Já enviamos à Associazione Bellunesi nel Mondo de Belluno sua grande contribuição à divulgação. (Davino Contini, Associação Bellunesi nel Mondo da Serra Gaúcha, Nova Prata/RS)

Sérgio Moro 

Boa escolha a do juiz Sérgio Moro para ministro da Justiça. Mas já começaram as críticas, acusando ele de ter "preparado" a eleição de Bolsonaro. Ora, a Justiça Federal é de um só juiz? A Lava Jato é só ele, não tem toda uma estrutura policial, da Procuradoria-Geral e do MP Federal por trás? Não sabem perder mesmo. Disseram que Moro logo aceitou. Ele tem 22 anos como juiz, queria que esperasse o que para aceitar? Aposentadoria? (Maria do Carmo de Freitas, Caxias do Sul/RS)

Isenção do IR

Muita gente não sabe que os benefícios concedidos como o "bolsa ditadura" são isentos do pagamento do IRPF. Pode isso, enquanto a faixa de isenção dos assalariados não é atualizada há anos? (Telvio Moreira, Porto Alegre)

Orgia de gastos

Em 2002, os gastos com pessoal consolidado - União, estados e municípios no Brasil foi de 13,35% do PIB, representando 41,64% da carga tributária, que era de 32,06%. Em 2017, foi de 15,90% do PIB. Crescimento real em relação ao PIB de 19,10%, representando 49,20% da carga tributária de 2016, que foi de 32,38%. Em relação à carga tributária, o crescimento foi de 18,16%. Para que se avalie a variação criminosa dos gastos reais com pessoal, cabe lembrar que, nesse mesmo período, houve um crescimento real do PIB Corrente de 36,10%, gerando um ganho real acima da inflação de 43,00% nesse período. Nenhuma nação do planeta conseguiria bancar tamanha orgia pública. Um grupo de trabalhadores de primeira classe (servidores públicos) composto por 13,4 milhões de brasileiros (ativos, inativos, civis e militares) que representam apenas 6,44% da população brasileira, sendo 2,2 milhões federais, 4,7 milhões estaduais e 6,5 milhões de municipais gastaram, em 2017, o correspondente a 15,90% do PIB. Esse percentual representou 49,20% da carga tributária, que foi de 32,38% do PIB em 2016. (Ricardo Bergamini, analista financeiro)

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia