Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de setembro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Edição impressa de 12/09/2018. Alterada em 12/09 às 01h00min

Dívida trabalhista

Os empresários podem lograr os trabalhadores à vontade (artigo "Execução de dívida trabalhista prescreve?", Jornal da Lei, Jornal do Comércio de 11/09/2018). A lei brasileira, sempre favorável aos ricos, prevalece. Demitem e não pagam o trabalhador, que não pode reclamar na Justiça. Se reclamar, é punido. Conheço pessoas que foram demitidas por contenção de despesa: a empresa alega falência e a Justiça fica a favor das empresas. (Daciur Santos, Porto Alegre)
População das praias
Muito boa a reportagem sobre o aumento de habitantes nas praias do Litoral Norte (Jornal do Comércio, 10/09/2018). Realmente, a vida nas praias deixou, há muitos anos, de ser apenas boa no verão. Hoje, temos toda uma infraestrutura funcionando, de razoável a boa ou até mesmo muito boa. (Telmo Figueiredo, Porto Alegre)
Pires de Miranda
Cumprimento o colunista Carlos Pires de Miranda (De olho na tevê, Jornal do Comércio, 11/09/2018). É um dos únicos, senão o único, da imprensa esportiva de Porto Alegre que se lembra dos demais clubes fora da dupla Grenal. Muito bom, ele cita que uma das causas, talvez a principal, é a grenalização do futebol gaúcho, como ocorre também na política, em todos os assuntos. Só interessa falar da dupla. Aí, como ele disse, os dirigentes dos demais clubes são mesmo uns heróis. A mais pura verdade. (José Ary Fontoura, Porto Alegre)
Imprudência no trânsito
De novo, muitas mortes no trânsito nas rodovias gaúchas, durante um feriadão. Mas há muita imprudência. Fui à Serra e, na volta, vi muitos veículos ultrapassando outros quando era expressamente proibido. E em curvas, o que aumenta o perigo. (Flávio Soares, Porto Alegre)
Pesquisa
Confusa esta última pesquisa do Datafolha. O candidato Jair Bolsonaro (PSL) está na frente, mas, na rejeição, também está à frente? E fazer pergunta sobre 2º turno com possíveis candidatos tornou tudo uma confusão. Quem tem percentual baixo de indicação agora, venceria no segundo turno...  E, ao contrário, quem está muito bem agora ficaria de fora? (Marco Antônio Pessoa, Porto Alegre)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian Bueno 12/09/2018 10h45min
A VIDA É PRA FRENTE, MAS É VIOLENTA!!!nnPor Dorian Bueno -nnSerá que estamos prontos para morrer, sem ter tido a oportunidade de viver todos os nossos verdadeiros sonhos?nGraças a Deus, acordamos todos os dias e algumas pessoas vào orar, agradecer por abrir os olhos, se amar, se alimentar, trabalhar, estudar, malhar, assaltar, matar, e tentar viver a vida.nMas, evidente que nào sabemos se conseguiremos voltar para casa, e poder agradecer a Deus por mais um dia, descansar novamente em nosso cheiroso e abenoado travesseiro.nEnfrentamos uma labuta diária de desafios, e sempre alguèm fica pelo caminho, sem ter tido a alegria de poder abraçar novamente a sua Grande ou Pequena Família.nComo caminho diariamente por uma avenida movimentada ao meu lado, consigo perceber tantas barbariedades.nÉ pedestre distraído, gente que enfrenta os carros, e dentro dos automóveis, a conectividade da rede social sempre conectada virtualmente, junto com o motorista ao volante.nSe a EPTC tivesse radares ambulantes em busca de motoristas fanáticos por celulares, com certeza evitaria muitos acidentes.nÉ tão estranho escrever sobre a morte, mas é isto que assistimos diariamente nesta violenta vida.nAcredito que muitos de nós depois que nascemos e fomos crescendo, tivemos a oportunidade de viver numa sociedade menos violenta como a atual.nOs nossos Pais nào tinham tanta preocupaçào, porque sabiam que sempre voltavámos para as nossas humildes residências, mesmo depois de um dia de trabalho, escola, lazer, etc.nQuem sabe aquele desejado ou nào bebê, mesmo sendo abenoado por Deus, desde o ventre da sua Mamãe, leva um baita susto quando lhe dão um tapinha na pequeninha bunda.nCreio esta nova criança sai aos gritos depois que nasce, é porque já leva de cara um outro grandioso susto.nAcabou a mordomia, sua verdadeira segurança, carinho virtual, e principalmente que nào sabe o que encontrará neste mundo cão.nQue Deus possa nos fortalecer sempre mais, que abra os nossos olhos todos os dias, e que cuide das nossas inocentes crianças, Amèm.nnAbs. Dorian Bueno