Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 03 de setembro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Edição impressa de 03/09/2018. Alterada em 03/09 às 02h18min

Logística 15 anos

Escassez de investimento em infraestrutura trava economia (Especial caderno Logística 15 anos, Jornal do Comércio, publicado em 31/08/2018), mas, na hora de definir as prioridades, foi escolhida apenas a segunda ponte do Guaíba, sem avaliações técnicas, e todo mundo aplaudiu. Enquanto se morre é nas estradas. A conclusão da ponte servirá apenas de cartão postal a políticos e ficará isolada e sem vantagem competitiva ao Estado, até que se concluam as duplicações das BRs, como a BR-116, mais adiantada que a ponte do Guaíba, mas quase parada; e a BR-290, completamente parada. (Rafael Lopes, Cachoeirinha/RS)
Logística 15 anos II
Em 1959, em Itaqui, realizou-se o primeiro Congresso sobre os Modais. O segundo foi no governo João Figueiredo. E, até hoje, temos esse encontro sobre o assunto. Primeiro, o projeto Ibicuí-Jacuí deveria ser uma prioridade; o porto de Tramandaí, outra; as duplicações das estradas federais, temos mais de 10 anos de atraso; e, com o túnel dos Andes, mais do que nunca é uma prioridade nacional o término da duplicação da BR-290. Mas na terra que aceita pressões espúrias de Brasília, estamos pagando caro a conta. (Francisco Berta Canibal, Arroio dos Ratos/RS)
Paixão Côrtes
Um homem qual Paixão Côrtes apenas finge que morre. Ele deixa uma mensagem de pertencimento que comove o Rio Grande, de sul a norte. Paixão foi sempre uma unanimidade. E isso nascia de sua estatura humana, de sua figura ímpar, de sua defesa absoluta de uma identidade cultural que ele conhecia como nobre pesquisador. O Rio Grande seca as lágrimas num lenço rubro. A Estátua do Laçador lembrará sempre sua grandeza humana. Com Barbosa Lessa e Paixão Côrtes, temos o Rio Grande em majestosa afirmação de sua identidade. (Luiz Coronel)
A insensibilidade do Bird
São de estarrecer as recomendações do Banco Mundial (Bird) aos futuros governantes do Brasil (Bird propõe fim da dedução do gasto com plano de saúde no IR, Jornal do Comércio, 30/08/2018). O banco, ao alegar que temos um sistema de saúde universal e gratuito, comete um erro absurdo frente às deficiências do sistema, que deixa morrer milhares de pessoas à espera de vaga para cirurgias e até mesmo para consultas. É também repugnante a proposta de terminar com o Simples, que facilitou a legalização e as tarefas dos pequenos e médios empresários. Outra inaceitável ideia é a de reduzir os valores pagos a quem ingressou no serviço público antes de 2003 e ainda está na ativa. (Adelino Soares
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian Bueno 03/09/2018 07h22min
O Saci correu, mas não conseguiu pegar a Raposa!!!Por Dorian Bueno -nEste jogo de zero a zero entre Cruzeiro e Internacional, sabemos que jamais foi parecido com aqueles que os times tinham muitos craques, ao preço de dólar americano na década de 1970. Ainda bem que a nossa defesa está sólida, o meio de campo defendendo como pode, mas o ataque, não pode errar tanto contra um time grande dentro do Mineirão.nQue pena que não foi hoje, que consegui ver o Colorado mais perigoso que o adversário. Quem sabe mais a frente, será possível contra outros times, para que aqui fora possamos deixar de sofrer bem menos durante o jogo. Ainda somos vice líder, mas não foi possível quebrar este tabú de 30 anos, sem vencer os Cruzeirenses em Belo Horizonte. Graças as defesas incríveis do Goleiro Marcelo Lomba, seguramos o time deles, e conquistamos mais um valioso ponto para a nossa importante campanha. Resumindo, foi um bom jogo, com o domínio do Cruzeiro no início, mas depois o Internacional encaixou e pressionou até o final de primeiro tempo. O segundo tempo quase repetiu a dose, com ótimas defesas do Lomba e depois foi lá e cá. O Cruzeiro até teve um gol anulado, naquela que seria uma pequena falha do Lomba. Mas todo o bom goleiro tem sorte. Rodrigo Silva teria usado a mão quando saltou com nosso goleiro. Colorados, estamos no caminho certo!!!nAbs. Dorian Bueno, POA