Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 06 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Opinião Econômica: Marcia Dessen
Marcia Dessen

Opinião Econômica

Edição impressa de 06/03/2019. Alterada em 05/03 às 22h12min

Quanto poupar para a longevidade

Em "Tempo, senhor da equação", refletimos sobre a importância de nos prepararmos financeiramente para a longevidade, longo período que viveremos depois de aposentados.
Se a provocação funcionou, você deve estar curioso, querendo saber de quanto precisa para garantir seu futuro. E essa pergunta se faz acompanhar de outra: quanto preciso poupar por mês para acumular essa grana?
Então vamos aos números. Antes, precisamos definir as premissas para os cálculos, tudo em base mensal: renda desejada no futuro, tempo do pagamento dessa renda; expectativa de rentabilidade (real líquida) durante o período dos saques.
José quer acumular capital suficiente para garantir uma renda mensal de R$ 1.000,00 durante os 30 anos (360 meses) previstos de inatividade profissional, entre os 60 e 90 anos. O capital estará investido em uma aplicação de baixo risco, com rentabilidade real (depois da inflação) e líquida (depois de impostos e custos) estimada de 0,25% ao mês.
Achou muito baixa? Seja prudente na estimativa dessa taxa. Lembre-se de que, além de toda a incerteza acerca dessa premissa, é impossível simular taxa de juros nominal, sem excluir o impacto da inflação. Precisamos que a renda mensal projetada tenha poder de compra constante. Se a inflação não for expurgada, estaremos projetando um valor maior, porém irrealista.
Premissas definidas, a calculadora informa que José precisa ter, aos 60 anos, capital de R$ 237.189,00, suficiente para garantir o fluxo de pagamento de renda mensal de R$ 1.000,00 por 30 anos. Se você deseja uma renda mensal de R$ 3.000,00 multiplique por três e acumule R$ 711.568,00.
Primeira pergunta respondida, podemos calcular quanto José deve poupar todo mês para acumular esse montante. A resposta não é única porque depende da premissa tempo, a idade de início dessa poupança. Dê uma olhada na tabela e veja quanto é preciso investir mensalmente para acumular, aos 60 anos, o montante de R$ 237.189,00 suficiente para garantir resgates mensais de R$ 1.000,00 pelos próximos 30 anos, dos 60 aos 90 anos de idade.
Viram por que me referi ao tempo como o senhor da equação, na coluna anterior? Olhe a diferença entre começar aos 25 (R$ 320,00/mês) ou aos 45 (R$ 1.045,00/mês)!
Quem começa aos 25 investe R$ 320,00 e resgata R$ 1.000,00, mais de três vezes o que investiu, beneficiado pelos juros produzidos ao longo do tempo. O esforço de quem começa aos 45 aumenta porque o período de investimento (15 anos) é menor do que o período de desinvestimento (30 anos).
Quanto mais cedo começar a poupar, melhor; mas nunca é tarde para começar.
Planejadora financeira CFP ("Certified Financial Planner"), autora de "Finanças Pessoais: O Que Fazer com Meu Dinheiro"
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Francisco Berta Canibal 06/03/2019 07h05min
Capital e aposentadoria.n Este é um tema que deve-se considerar o valor da moeda acumulada. Se ouro, dinheiro ( real), terreno etc,,,mas o mais importante é a casa própria. Diante do quadro atual, ala Grécia, não se tem como prever uma aposentadoria para quem só tem seu próprio trabalho para acumular capital. Tivemos vários planos econômicos, estamos diante de um endividamento estatal a nível mundial e privado que assusta.