Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 29 de abril de 2021.
Porto Alegre,
quinta-feira, 29 de abril de 2021.
29/04/2021 - 15h40min.
Alterada em 29/04 às 15h40min

O que é rezar?

Por Dom Jaime Spengler, arcebispo metropolitano de Porto Alegre e primeiro vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)
Por Dom Jaime Spengler, arcebispo metropolitano de Porto Alegre e primeiro vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)
Há ainda lugar para a oração no corre-corre do cotidiano marcado por um crescente processo de secularização? A oração encontra ainda lugar em nosso cotidiano? O que é oração?
Conta-se de uma senhora de idade avançada que diariamente reservava tempo para o cultivo da oração. Pálpebras veladas, murmurava Ave-marias enquanto as contas do rosário iam deslizando por entre os dedos. Perguntaram-lhe: “o que é que a senhora está fazendo?” Com olhar tranquilo e voz mansa, um tanto admirada, ela respondeu: “Não estou fazendo nada. Estou apenas seguindo o fio da oração”. De forma lacônica ela, então, explicou que não era ela que fazia a oração, mas era a oração que a conduzia. Replicaram-lhe: “Mas o que é isso que a conduz?” A senhora com simplicidade respondeu: “não sei. Só sei que me carrega, como uma grande corrente de água”.
Alguém experto na doutrina cristã e em métodos de oração poderia acusar essa senhora de ignorância. Diria provavelmente que ela não sabia da doutrina cristã e nem possuía o conceito de um Deus pessoal. Consideraria certamente aquela senhora ingênua, simplória.
Há uma antiquíssima tradição cristã que propõe um método de oração que pode ser de auxílio para quem se sente atingido e desafiado pelo ritmo contemporâneo de vida, marcado por celeridade. Trata-se daquilo que se cunhou denominar a “oração de Jesus”. Ela consiste na repetição da súplica “Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus Vivo, tem piedade de nós”. Sugere-se uma sintonia entre a oração e a respiração. São João Clímaco dizia: “Que a memória de Jesus se una inteiramente à tua respiração e tu conhecerás a significação do silêncio”.
Essa forma de oração do coração, silenciosa, pessoal e íntima não aponta para uma espiritualidade marcada pela evasão do mundo, mas, sim, de tudo o que é imundo.
Não encontraríamos nesta forma de rezar, uma indicação para resgatar a intimidade com Nosso Senhor e Mestre? Não seria este um método de oração chancelado pela nobre tradição cristã, capaz oferecer sentido à vida humana e resgatar seu sentido profundo e transcendental?
Paróquias realizam programação especial para o 1º de maio - O dia 1º de maio, Dia do Trabalhador, se aproxima e com ele programações especiais das paróquias da Arquidiocese de Porto Alegre. A Igreja Nossa Senhora do Trabalho, localizada na Zona Norte da capital, vem realizando novenas desde o dia 21 de abril, com a primeira delas em missa presidida por Dom Leomar Brustolin, bispo auxiliar de Porto Alegre e o tema "O Ano da Família". No mesmo dia, no período da tarde, uma procissão motorizada percorreu algumas ruas com a imagem de Nossa Senhora do Trabalho e o Santíssimo Sacramento. As celebrações em honra a Nossa Senhora do Trabalho encerram no dia 1º com Santa Missa presidida pelo arcebispo metropolitano Dom Jaime Spengler, às 10h da manhã. Para participar presencialmente é preciso reservar lugar com a Secretaria da paróquia pelo telefone: (51) 3340-3709 ou pelo whats: 99799-9705. Esta é a 67ª Festa da padroeira. Em Alvorada, a paróquia São José Operário, localizada na Rua Oceânia, também está realizando programação pela passagem do dia 1º de maio. Nos dias 28, 29 e 30 de abril será realizado o tríduo em honra a São José Operário, sempre às 19h, com bênção da água, bênção da chave e dos objetos devocionais, respectivamente. E no dia 1º, missa festiva, às 10 e às 17h, com bênção das carteiras de trabalho e documentos. Para mais informações, sobre como participar presencialmente, faça contato pelo telefone: (51) 3483-1342.
Santuários de todo o mundo são convidados a integrar a maratona de oração com o Papa pelo fim da pandemia - Segundo o forte desejo do Santo Padre, o mês de maio será dedicado a uma “maratona” de oração para invocar o fim da pandemia, que aflige o mundo há mais de um ano, e para a retomada das atividades sociais e de trabalho. O Papa Francisco quis envolver todos os Santuários do mundo nesta iniciativa, para que se tornassem instrumentos para uma oração de toda a Igreja. A iniciativa está sendo realizada à luz da expressão bíblica: “De toda a Igreja subia incessantemente a oração a Deus” (At 12,5). O Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, encarregado pelo Papa de organizar o evento, estendeu o convite a todos os Santuários do mundo, a fim de promover a difusão da iniciativa nas respectivas Regiões, de modo a chegar aos sacerdotes, às famílias e a todos os fiéis, convidando-os a unir-se a esta oração de intercessão e esperança à Santíssima Virgem. Com a oração do Terço, cada dia do mês é marcado por uma intenção de oração pelas diversas categorias de pessoas mais afetadas pelo drama da pandemia: por aqueles que não puderam se despedir de seus entes queridos, pelos profissionais da saúde, pelos pobres, pelos sem-teto e pelas pessoas com dificuldades econômicas e por todos os falecidos… estas são algumas das intenções que marcarão a oração a Nossa Senhora. A oração em cada um desses Santuários será transmitida pelos canais oficiais da Santa Sé, seguindo o horário de Roma, às 18h. Foi preparado um breve subsídio litúrgico para fornecer algumas indicações úteis para compartilhar este momento com a própria comunidade. O subsídio em italiano, inglês e espanhol pode ser baixado do site do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização (pcpne.va). Do Brasil, conforme lista divulgada pelo Vaticano, integrará esta maratona de oração a Catedral Basílica de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida (SP), no dia 6 de maio. Cada Santuário do mundo é convidado a rezar na maneira e na linguagem em que a tradição local se expressa, a invocar a retomada da vida social, do trabalho e das muitas atividades humanas que foram suspensas durante a pandemia. Este chamado comunitário procura realizar uma oração contínua, distribuída pelos meridianos do mundo, que se eleva incessantemente de toda a Igreja ao Pai através da intercessão da Virgem Maria. Por esta razão, os Santuários são chamados a promover e solicitar o máximo possível a participação do povo, para que todos possam dedicar um momento à oração diária, no carro, na rua, com o smartphone e graças às tecnologias de comunicação, pelo fim da pandemia e a retomada das atividades sociais e de trabalho. Saiba mais em: https://bit.ly/3aRKnpM.
Papa anuncia nova lei anticorrupção para dirigentes vaticanos - “A fidelidade em coisas de pouca conta está relacionada, segundo as Escrituras, à fidelidade em coisas de importância." Inicia-se com estas palavras o novo Motu proprio de Francisco sobre a transparência, com o qual o Papa solicita aos dirigentes da Santa Sé em todos os níveis, e a todos aqueles que desempenham funções ativas administrativas, funções jurisdicionais ou de controle, que assinem uma declaração assegurando que não receberam condenações definitivas, que não estão submetidos a processos penais pendentes ou a investigações por corrupção, fraude, terrorismo, lavagem de dinheiro, exploração de menores, evasão fiscal. E que não mantêm dinheiro ou investimentos em países com alto risco de lavagem de dinheiro ou de financiamento do terrorismo, em paraísos fiscais ou participações em empresas que operam contra a Doutrina Social da Igreja. A restrição segue a de 19 de maio de 2020, quando o Papa Francisco promulgou o novo código de licitações, e foi necessário, explica o Pontífice, porque a corrupção "pode se manifestar em modalidades e formas diferentes mesmo em diferentes setores dos de licitações, e por esta razão os regulamentos e as melhores práticas em nível internacional preveem para os indivíduos que desempenham papéis-chave no setor público obrigações particulares de transparência com o objetivo de prevenir e combater, em todos os setores, conflitos de interesse, formas clientelísticas e corrupção em geral". Por esta razão, a Santa Sé, que aderiu à Convenção das Nações Unidas contra a corrupção, "decidiu conformar-se às melhores práticas para prevenir e combater" este fenômeno "em suas diversas formas". Saiba mais em: https://bit.ly/3t35Xhk.
Comentários CORRIGIR TEXTO