Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

01/01/2020 - 20h27min.
Alterada em 02/01 às 19h43min
COMENTAR | CORRIGIR

O olhar amoroso de Deus sobre a família humana

Dom Aparecido Donizeti de Souza, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Porto Alegre
Dom Aparecido Donizeti de Souza, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Porto Alegre
Todos os seres humanos habitam a mesma casa comum, necessitam de alimento, de ar, de água, e, sem dúvida, de amor. Temos necessidades iguais, mas também somos diferentes e únicos, pois não existem duas pessoas totalmente iguais no mundo e com as mesmas digitais. Para nós, que acreditamos em Deus Criador, podemos afirmar que cada criatura humana é uma obra prima especial e única.
Mas como entender as dificuldades que muitos encontram para conviver com seu semelhante? Como entender a tendência presente em pessoas em querer depreciar, diminuir e não tratar com a mesma dignidade o outro? Ainda, qual a razão de tantas pessoas também ter percepção negativa de si mesmas, se diminuindo e não reconhecendo o devido valor que têm? Seria tão bom se cada ser humano pudesse perceber quão especial é e que soubesse reconhecer o outro da mesma forma. Esse reconhecimento levaria ao respeito e cuidado para com a vida, dom precioso, em todas suas etapas e circunstâncias.
Aqui entra a importância da família como espaço privilegiado para que o ser humano possa desenvolver esse olhar positivo e amoroso sobre si mesmo e aprenda a olhar o outro da melhor forma possível. Não resta dúvida que esse olhar será iluminado se for a partir do olhar que entendemos Deus ter para com a humanidade. Ele que amou de tal modo o mundo que “quando completou o tempo previsto, enviou o seu Filho, nascido de mulher, nascido sujeito à Lei, para resgatar os que eram sujeitos à Lei, e todos recebemos a dignidade de filhos” (Gal. 4, 4-5). Assim, quando pais buscam educar os filhos e filhas com valores que se fundamentam no evangelho de Jesus Cristo, certamente esses serão pessoas vivendo a própria vida com sentido e saberão colaborar para que o mundo seja mais solidário e pacífico, onde se tenha maior alegria de viver e conviver uns com os outros.
Que cresça, portanto, a fé e a esperança de que é possível construir um mundo melhor para todos. Olhando o exemplo da Sagrada Família de Nazaré, cuidemos bem de nossas famílias para que sejam verdadeiros lares onde se aprende a amar, a respeitar, a ser honesto e sensível ao que mais necessitam. Acreditamos firmemente, conforme São João Paulo II dizia, que “saem, de fato, da família os cidadãos, e, na família, encontram a primeira escola das virtudes sociais, que são a alma da vida e do desenvolvimento da mesma sociedade". (Familiaris consortio, n. 42)
Fé também no verão - Disponível desde julho na Arquidiocese de Porto Alegre, o Sineiro (www.sineiro.com), serviço de localização de missas e igrejas pelo celular ou computador, será uma facilidade também para os fiéis que visitarão o Litoral Norte neste verão. O serviço estará disponível no Diocese de Osório, o que inclui todas as praias, de Balneário Pinhal a Torres, a partir de 1º de janeiro. O Sineiro informa ao usuário a próxima missa em um raio de 1km e há a possibilidade de aumentar o raio, mudar o dia da semana e pesquisar por endereço. O Sineiro ainda não é um app, apenas site adaptado aos diversos tamanhos de telas. “Lembro de passar grande parte do verão da minha infância no Litoral Norte e íamos de igreja em igreja para descobrir o horário das missas, e muitas vezes nem sabíamos quais eram as igrejas da região”, conta Juliano Rigatti, jornalista e fundador da solução. “O Sineiro atende ao apelo do Papa Francisco, que quer uma Igreja que vá ao encontro das pessoas”, finaliza.
Transparência - Modelo de gestão que vem sendo implementado pela nova presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) cria um Comitê de Gestão Administrativa e Financeira. Segundo o presidente da entidade, Dom Walmor Oliveira Azevedo (arcebispo de Belo Horizonte/MG), o gesto configura-se como “um passo importante da CNBB, em sua sólida e reconhecida trajetória, no zelo com os recursos que promovem e garantem trabalhos de evangelização e a dedicação e cuidado com os mais pobres, opção prioritária da Igreja”. “Agir com transparência é dever cidadão, irrenunciável compromisso de quem professa, com autenticidade, a fé cristã católica. É exatamente este caminho que a Igreja procura cada vez mais ensinar e promover, não apenas com palavras, mas a partir de gestos concretos, oferecendo um testemunho cristão genuíno, capaz de inspirar diferentes segmentos da sociedade”, ensina São Gregório Magno, citado pelo Papa Francisco, na Bula Apostólica Misericordiae Vultus. É preciso, pois, enfrentá-lo com coragem e humildade. Com o Conselho e Comitê Gestor, a gestão dos recursos torna-se ainda mais transparente, permitindo que a colegialidade da CNBB, seu principal tesouro, inspire também mecanismos de controladoria e fiscalização.
Papa pede menos celulares - A família é um tesouro precioso que precisa ser apoiado e tutelado, disse o Papa Francisco neste domingo (29), Festa da Sagrada Família, quando deu uma tarefa: retomar a comunicação em família. No último Angelus do ano de 2019, Francisco propôs a Sagrada Família de Nazaré como modelo para nossas famílias. “O termo ‘sagrada’ - começou explicando - insere essa família no âmbito de santidade que é dom de Deus mas, ao mesmo tempo, é uma adesão livre e responsável ao projeto de Deus. Assim foi para a família de Nazaré: foi totalmente disponível à vontade de Deus.” Falando aos milhares de peregrinos e turistas presentes na Praça São Pedro, disse Francisco, “Maria, José e Jesus, a Família de Nazaré, representam uma resposta uníssona à vontade do Pai. Os três componentes dessa família singular se ajudam reciprocamente a descobrir e realizar o plano de Deus. Eles rezavam, trabalhavam, se comunicavam”. E então o Papa se pergunta: Tu, em tua família, sabes te comunicar, ou és como aqueles jovens na mesa, cada um com o telefone celular? Naquela mesa parece um silêncio, como se estivessem na Missa. Mas não se comunicam. Devemos retomar a comunicação em família: os pais, os pais com os filhos, com os avós, mas comunicar-se, com os irmãos, entre eles. Esta é uma tarefa a ser feita hoje, precisamente no dia da Sagrada Família. Antes de despedir-se com o tradicional bom domingo, bom almoço e não se esqueçam de rezar por mim, o Papa fez votos de que todos terminem o ano em paz: “Saúdo a todos, e a todos desejo um bom domingo e um final de ano sereno. Terminemos o ano em paz, paz de coração: esses são meus votos a vocês. E em família, se comunicando. Agradeço novamente a vocês pelas felicitações [de Natal] e pelas orações. E por favor continue rezando por mim. Bom almoço e até logo!
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Dom Jaime Splengler
Dom Jaime Splengler
A Arquidiocese de Porto Alegre renova sua tradicional coluna no Jornal do Comércio, antes intitulada "A Voz do Pastor", e passa a chamá-la "Olhar da Fé", com publicação exclusiva na versão online do veículo. Todas as quintas-feiras, Dom Jaime Spengler, arcebispo de Porto Alegre, ou um dos bispos auxiliares trarão a visão do sagrado sobre temas importantes para a sociedade.