Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de julho de 2019.
Dia do Operador de Telemarketing. Feriado nos EUA - Dia da Independência.

Jornal do Comércio

27/06/2019 - 15h26min.
Alterada em 04/07 às 16h30min
COMENTAR| CORRIGIR

Fé e vida

Dom Jaime Spengler, Arcebispo Metropolitano de Porto Alegre
O dinamarquês Kierkegaard (1813-1855) marcou a história do pensamento ocidental. Ele foi poeta, crítico social, filósofo e teólogo. Num de seus depoimentos, ele expressa o júbilo pela sua existência dizendo: “Eis o motivo pelo qual minha voz se elevará no júbilo, mais forte que a voz da mulher que deu à luz, mais forte que o grito de alegria dos anjos por um pecador que se arrepende, mais alegre que o canto dos pássaros ao raiar do dia: pois o que eu procurei, achei; e mesmo que os homens me arrebatassem tudo, mesmo que me excluíssem de sua sociedade, eu conservaria sempre a melhor parte, o espanto repleto de felicidade que nos trazem o amor infinito de Deus e a sabedoria de seus desígnios”.
Kierkegaard aponta para a dimensão da fé cristã; a fé vai além da mera crença doutrinal para incluir uma atitude de profunda confiança em Deus e abertura para o Infinito.
A fé, no atual contexto histórico marcado pela exacerbação do pensamento científico, se vê sujeita a uma série de interrogações. Ela, porém, não teme qualquer conflito com a autêntica ciência, pois ambas, por caminhos característicos, tendem para a verdade.
O racionalismo científico e tecnológico abrange o finito, o mensurável e perceptível. A fé, sem negar a estes, aponta para o Infinito atuante no visível de toda situação finita.
O conhecimento advindo da fé promove valores: a reverência, o cuidado, a solidariedade, a fraternidade, a liberdade, a justiça, a paz, a misericórdia, o reconhecimento do finito, o respeito e a promoção das diferenças. Valores autênticos aperfeiçoam a pessoa, realizando sua natureza e plenificando sua existência. Os valores cooperam para que a identidade humana reconheça o Infinito, sem negar o finito.
A fé cristã não se contrapõe à razão. Ela também não admite radicalismos e fundamentalismos. Ela propicia, sim, ao ser humano a possibilidade de sair de si e habitar na tenda do Divino em todas as situações da existência humana, para que todos possam ter vida e vida em abundância.
Mais um novo padre na Arquidiocese
Nesta sexta-feira (28), a Arquidiocese de Porto Alegre celebra a ordenação presbiteral (quando torna-se padre) do diácono Cláudio Fernando Wojciechowski. A celebração, conduzida pelo arcebispo metropolitano, Dom Jaime Spengler, será realizada na Comunidade São Miguel, pertencente à Paróquia Nossa Senhora Medianeira (Rua Antônia S. Pinheiro, 99 - Bairro Cidade Verde - Eldorado do Sul), às 20h. Cláudio nasceu em 14 de março de 1975 e é oriundo de Eldorado do Sul.
Novo bispo de Caxias
O papa Francisco acolheu nesta quarta (26) o pedido de renúncia apresentado por dom Alessandro Ruffinoni e nomeou como novo bispo de Caxias do Sul (RS) dom José Gislon, até o momento à frente da diocese de Erexim (RS). Dom Gislon, frade capuchinho, é natural de Dona Emma (SC) e foi nomeado bispo de Erexim em junho de 2012. Sua ordenação foi em Curitiba (PR) e sua posse na catedral São José, em Erechim (RS), em 19 de agosto do mesmo ano. Seu lema episcopal é “In caritate diligere et servire” (Amar e servir na caridade). Dom Alessandro Ruffinoni soma 13 anos de episcopado, tendo sido auxiliar de Porto Alegre (RS), de 2006 a 2010. Italiano de Bergamo, dom Alessandro é missionário Scalabriniano. Dom Alessandro completou 75 anos em agosto de 2018, idade estabelecida no Código de Direito Canônico para que o bispo apresente seu pedido de renúncia.
Jornada Mundial da Juventude 2022
No último sábado (22), o papa Francisco anunciou o tema da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que será realizada em Lisboa, em 2022. Sobre o tema: “Maria levantou-se e partiu apressadamente (Lc 1, 39)” declarou: “Desejo que haja uma grande sintonia entre o itinerário para a JMJ de Lisboa e o caminho pós-sinodal (outubro 2018). Como Maria, e junto com ela, sejam portadores da sua alegria e do seu amor, todos os dias”. Antecedendo a semana da JMJ 2022, acontece um percurso de três anos e meio: no Brasil, denominado JDJ – Jornada Diocesana da Juventude (2020 e 2021) e em Lisboa (2022). A coordenação do evento espera a presença de 1 milhão de jovens no verão da Capital portuguesa.
COMENTAR| CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Dom Jaime Splengler

A Arquidiocese de Porto Alegre renova sua tradicional coluna no Jornal do Comércio, antes intitulada "A Voz do Pastor", e passa a chamá-la "Olhar da Fé", com publicação exclusiva na versão online do veículo. Todas as quintas-feiras, Dom Jaime Spengler, arcebispo de Porto Alegre, ou um dos bispos auxiliares trarão a visão do sagrado sobre temas importantes para a sociedade.