Porto Alegre, sexta-feira, 19 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 19 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Coluna

- Publicada em 03h00min, 19/03/2021.

Holofotes no setor de eventos

Claudia Fattore de Matos

Claudia Fattore de Matos


/ACERVO PESSOAL/DIVULGAÇÃO/JC
Atingido em cheio pela pandemia do Covid, o setor de eventos, incluindo os profissionais ligados a festas, eventos corporativos e cerimonialistas foi o primeiro a parar e, talvez, seja o último a retornar. Paralisados desde março de 2020, os profissionais tiveram o apoio da Agepes, presidida por Claudia Fattore de Matos que, inicialmente, mobilizou voluntários para a arrecadação de cestas básicas e distribuição de máscaras para os associados. Procurando alternativas para a retomada do setor como a adaptação aos protocolos de saúde, Claudia foi em busca de auxílio junto a Assembleia Legislativa, governo do Estado do Rio Grande do Sul, prefeitura de Porto Alegre e secretários de saúde, enfatizando a realidade vivida pelo setor. "Como forma de amenizar as perdas, foram viabilizados empréstimos através do BRDE, e do Pronampe, em uma linha de crédito especial no valor de R$ 15,9 bilhões para ajudar micro e pequenas empresas com recursos financeiros e, assim, evitar as demissões", comenta. Passados seis meses, o quadro se agravou ainda mais. Muitas empresas deste segmento fecharam suas portas, outras tantas quebraram ou encerraram suas atividades e seus profissionais ficaram sem trabalho. "Em 12 meses, pagando IPTU, CEEE e outros encargos, não temos mais fôlego", ressalta Claudia.
Atingido em cheio pela pandemia do Covid, o setor de eventos, incluindo os profissionais ligados a festas, eventos corporativos e cerimonialistas foi o primeiro a parar e, talvez, seja o último a retornar. Paralisados desde março de 2020, os profissionais tiveram o apoio da Agepes, presidida por Claudia Fattore de Matos que, inicialmente, mobilizou voluntários para a arrecadação de cestas básicas e distribuição de máscaras para os associados. Procurando alternativas para a retomada do setor como a adaptação aos protocolos de saúde, Claudia foi em busca de auxílio junto a Assembleia Legislativa, governo do Estado do Rio Grande do Sul, prefeitura de Porto Alegre e secretários de saúde, enfatizando a realidade vivida pelo setor. "Como forma de amenizar as perdas, foram viabilizados empréstimos através do BRDE, e do Pronampe, em uma linha de crédito especial no valor de R$ 15,9 bilhões para ajudar micro e pequenas empresas com recursos financeiros e, assim, evitar as demissões", comenta. Passados seis meses, o quadro se agravou ainda mais. Muitas empresas deste segmento fecharam suas portas, outras tantas quebraram ou encerraram suas atividades e seus profissionais ficaram sem trabalho. "Em 12 meses, pagando IPTU, CEEE e outros encargos, não temos mais fôlego", ressalta Claudia.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2021/03/18/206x137/1_andreia_brum_e_eduardo_zorzanello_dvg_flavio_l__prestes_8637022_8639332-9273107.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'6053c3ca1d43a', 'cd_midia':9273107, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2021/03/18/andreia_brum_e_eduardo_zorzanello_dvg_flavio_l__prestes_8637022_8639332-9273107.jpg', 'ds_midia': 'Andréia Brum, presidente da Abeoc-RS', 'ds_midia_credi': 'FLAVIO L. PRESTES/DIVULGAÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Andréia Brum, presidente da Abeoc-RS', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '546', 'cd_midia_h': '100%',  align=Andréia Brum, presidente da Abeoc-RS. FOTO: FLAVIO L. PRESTES/DIVULGAÇÃO/JC
Para Andréia Brum, presidente da Abeoc-RS, Associação Brasileira de Empresas de Eventos, com representatividade no RS, é hora de arriar a bandeira preta para o setor de eventos, observando os protocolos vigentes. "Todos os mercados degustaram um pouco de suas retomadas e para nós restou apenas o lugar da audiência, ficamos assistindo a 'banda passar'. Quando a atual bandeira preta do Rio Grande do Sul for flexibilizada, gostaríamos de pedir que a nossa, por fim, fosse arriada", arremata. "Engana-se quem pensa que os envolvidos em eventos são apenas aqueles que vimos trabalhando durante a festa, esses são uma porção muito pequena se comparada ao número de envolvidos na criação, planejamento, fornecimento de insumos, montagem, desmontagem e tantos outros que participam de forma indireta", comenta a organizadora de eventos Fabíola Lopes.

Mesa de outono

Aproveitando a chegada do outono, o projeto Mesa de Cinema abre neste sábado, dia 20, a temporada de 2021 com o filme francês Conto de Outono, dirigido por Eric Rohmer. Porto Alegre, Vale do Sinos, Gramado, Canela e São Francisco de Paula, são as cidades que entram no clima e estão na rota de entregas em casa dos jantares assinados pelos chefs Arika Messa, Marina Guedes e Ademir Jr. A jornalista Rejane Martins comanda o debate diretamente da Bretanha, no noroeste da França, onde está radicada.
 

Sbornia on line

Hique Gomez, como Kraunus, em homenagem aos garis
Hique Gomez, como Kraunus, em homenagem aos garis
/RAFAEL ROSO BERLEZI/DIVULGAÇÂO/JC
A segunda temporada da websérie A Sbornia em Revista, com estreia prevista para o final deste mês terá a participação do grupo feminino de pagode SambaDelas, que gravou o Samba de Gari, de Hique e Nelson Coelho de Castro, em homenagem aos garis que seguem trabalhando para manter a cidade limpa. A websérie exibida no canal do YouTube, A Sbørnia Kontr'Atracka, terá três episódios e conta com a participação de músicos da periferia de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul.
 

Guia de moda

O especialista em moda e estilo e figurinista Xico Gonçalves está lançando em breve o seu guia de moda O poder da imagem, de 400 páginas, inicialmente apenas em e-book, pela Amazon, com versões em inglês e português. Segundo ele, "a imagem será a mais importante ferramenta de trabalho após a pandemia, e a aparência será mais um adjetivo na busca de uma colocação no mercado".
 

Soluções

Elvio Sobucki, organizador de eventos
Elvio Sobucki, organizador de eventos
/GILMAR LUÍS/ARQUIVO/JC
Em meio a isso tudo, alguns profissionais buscaram alternativas individuais para vencer a crise do setor. Como Ana Toledo, organizadora de eventos que, aliada a outros profissionais do ramo, montou kits para festas que são entregues aos convidados do anfitrião com a possibilidade de comemoração online, saboreando os mesmos itens selecionados e recebidos em casa. "Foi um jeito de me adaptar ao momento, mas estou gostando bastante. Adoro um trabalho personalizado nas minhas festas e agora faço isso nas minhas caixas", diz Ana.
Elvio Sobucki, organizador de eventos sociais e corporativos, se aliou a um grande nome da gastronomia local, Claudio Solano, e juntos criaram a Olivah Gastronomia, para atender aos eventos da Sociedade Libanesa. "Confesso que está sendo difícil, pois quando começamos a colocar em prática esta parceria, em meados de outubro de 2020, as perspectivas de retomada do setor eram mais otimistas, e o que estamos vendo não são melhoras a curto prazo. Mas temos certeza que irá passar, e quando acontecer estaremos prontos para voltar a ser uma das melhores opções para eventos em Porto Alegre", celebra Elvio.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO